27 outubro 2008

Mais um dia e outra foto ruim

Infelizmente perdi esse dia do Liniers relatado aqui, mas, na quinta-feira (23/10), o Nasi me alertou que o cartunista estaria novamente na HQMix Livraria . Então, corri para lá. Como não levei a câmera, só tenho para mostrar a foto dos autógrafos que ele deu para o Diego e para mim, tirada depois, em casa.

O Nasi tinha avisado que o Liniers terminou a quarta-feira exausto e, pelo que vi na quinta, continuava assim, mas sem perder a paciência e o bom humor. Em um dia de muito calor, ele estava tomando alguns Red Bulls, desenhando mais uma página de uma HQ coletiva (parte do evento de aniversário da HQMix) e atendendo a todos os fãs que aparecessem.

Logo que cheguei, o Claudio, publisher da Zarabatana Books, me recebeu, conversou comigo sobre o álbum e a receptividade da editora nas livrarias e assim que pude finalizar a compra dos exemplares do Macanudo # 1 e me apresentou para o Liniers.

Infelizmente, meu espanhol é nulo, ou menos que isso, então pude conversar pouco, mas ele me falou sobre a sorte de poder fazer algo diferente, até estranho, e ser publicado diariamente em um grande jornal.

Aliás, nossa conversa em portunhol teve um momento engraçado, quando ele estava fazendo os desenhos dos autógrafos. No meu livro, pedi o desenho do coelho; no do Diego, um pingüim; e no do Malta, eu disse “esse fica a seu critério”. Ele olhou para mim meio encabulado e disse: “Mas eu não tenho nenhuma personagem secretária”.

Depois de uma certa dificuldade com o portunhol, nos entendemos e o Malta recebeu um Macanudo com o desenho de um belo duende, opção do Liniers. Então, feliz com meus álbuns autografados fui conversar o meu amigo Ronaldo Barata, o webmaster do Universo HQ, diretor de uma unidade da Quanta Academia de Artes, que também estava desenhando uma página dessa HQ coletiva montada em um mural na frente na HQMix Livraria.

P.S.: Já li Macanudo # 1 e é excelente, sexta-feira tem resenha, estou escrevendo hoje mesmo.

4 comentários:

Pacha Urbano disse...

Conheço o trabalho do Liniers desde o seu primeiro livro e desde então eu sou fã. Infelizmente eu não pude ir vê-lo aí em São Paulo, e mais infeliz ainda eu fiquei por saber que ele não daria autógrafos em nenhuma livraria aqui no Rio (ou pelo menos esta informação não me chegou)... Enfim, coisas da vida. Mas feliz mesmo eu fico por saber que foi a Zarabana - minha editora preferida - que conseguiu lançá-lo aqui no Brasil.

Pacha Urbano disse...

*Zarabatana (comi o "ta" do nome da minha editora favorita). He he he he

Victor disse...

Zé, fantástica a dedicatória! E que sorte você tem, porque se inveja matasse...
Abç!

José Valcir Ramos da Silva disse...

Quem é o leitor de HQ? Boa pergunta e boa sua observação a pesquisa de mercado. De fato, as "republicadoras" e editoras não fazem pesquisa de mercado, porque se assim o fizessem, acredito eu, o mercado de HQ + B seria outra realidade.
Quando voltamos a editar a Prismarte, em 2003, nós, conselheiros editoriais, fizemos uam pesquisa de com nosso leitores e descubrimos muita coisa interessante.
Seria bom que outros produtores de quadrinhos fizessem o mesmo. Conhecer o leitor é uma ótima ferramenta de trabalho.