15 outubro 2008

Cada um no seu quadrinho...

Pois é, hoje é dia de estréia no Universo HQ. O jornalista Eduardo Nasi inaugura sua nova coluna, Cada um no seu quadrinho.

E, de cara, ele escolheu um assunto espinhoso: os spoilers nas histórias em quadrinhos.

E você, o que achou? O que tem a dizer a respeito do assunto? Comente à vontade!

19 comentários:

Anônimo disse...

Não precisava falar do desfecho da traição de Dedina... :(

Perdeu a graça...

Bone disse...

Poxa, Nasi, Retorno de Jedi não, Império Contra Ataca que revela que o Darth Vader é pai do Luke.

Mas esse negócio de spoiler é engraçado mesmo. Muita gente não leu Sandman, ou Watchmen, revistas que foram publicadas ha 10, 20 anos, e acham ruim quando alguém comenta o final por acaso, como se fosse novidade.

Sidney Gusman disse...

Boa, Bone. Já pdei pra arrumar!

Abraço

Octavio Aragão disse...

Concordo com o Goida.
História continua boa mesmo quando sabemos o final. Homero e Virgílio estão aí para comprovar.
E cá entre nós, como é que um acadêmico que estude a sério a cultura de massa vai fazer um bom trabalho se, por exemplo, evitar de discorrer sobre o final de Watchmen e suas referências a outras mídias (a mais óbvia é um episódio de Além da imaginação, de, se não me engano, Harlan Ellison)?
Ou seja, ficar com raivinha por saber o final de uma boa história é coisa de fanboy! A história mais famosa e influente da cultura ocidental nunca foi prejudicada - em suas inúmeras encarnações - pelo fato de nós sabermos que, no final MESMO, o herói ressuscita e extermina os romanos.
Hum? Quê? Uai, mas não acaba assim...?

Zé Wellington disse...

Matéria muito bem escrita. Parabéns ao Nasi e ao UHQ pela volta definitiva das COLUNAS!

Abração a todos!

Snarf disse...

Nasi,
sem dúvida uma obra boa relemos ou reassistimos mesmo sabendo o final. Mas a primeira vez, com gosto de surpresa é um prazer único. O prazer de reler já é outro: ver pistas e detalhes que conduzem para o fim e que não vimos na primeira vez.

Eu, definitivamente, não gosto de spoiler. Evito o máximo possível para que me delicie com a história.
E este é o ponto que seu artigo me deixou chateado. Vi a chamada no Omelete, que cobriu as páginas e tampou o spoiler. Mais do que depressa fechei a matéria. Quando vi a chamada no blog achei que haveria uma discussão sobre o assunto (como teve) mas sem que a própria matéria fosse um baita spoiler. Você pode se defender dizendo que o título chama para isso, mas ele parece mais um trocadilho jornalístico.

É por este spoiler que você ganhou 2 balões e meio ao invés de 5 pela matéria ;)

Eduardo Nasi disse...

Ah, de fato, Bone! Lapso, lapso total! Desculpe e obrigado pra quem arrumou.

Rafael disse...

Acho esse culto ao spoiler uma grande bobagem. Ainda mais se for no universo dos supers, onde, como bem comentou o Nasi, não tem final nunca. E é um tal de morre-ressucita, ou acaba-tudo-começa-de-novo, que na verdade, me parece, já esgotaram-se as possibilidades. Quem lê HQ de herói por mais de 5 anos invariavelmente acaba sofrende de Deja Vus mensais. Pior que Flashback de acido.

Leitor de HQ de Herói que se morde por conta de spoiler é igual crente que diz que não lê a Biblia porque sabe que Jesus morre (e ressussita) no final

Blaze disse...

Pra mim o J. Kent já tinha morrido há um tempão, nas últimas revistas revistas DC da Abril, numa saga aí (era ruim demais, e nem cheguei a ler - só folheei, mas me parece que citam a morte do velho em algum momento)...

O velho Kent também já morreu (e voltou) mais que a Fenix, se somarmos os filmes, séries, etc.

SEm contar que foi ele quem foi ao "céu dos kriptonianos" trazer o filho de volta...

Valdir Souza disse...

Ah é verdade, quando citou o capítulo do Simpsons eu nem me liguei no erro da citação, mas a mensagem foi passada (e é bom também pra quem ainda não viu star wars)( é brincadeira!!!).

O texto ficou maneiro, a galera da Folha não se tocou no erro que cometeram, ficou parecendo spoiler de revista de fofoca.. Enquanto a Promothea do Alan Moore, li as duas primeiras edições mas não achei grande coisa, vou dar outra chance.

Camila Alam disse...

Assunto espinhoso esse dos spoilers! Eu não tenho nada contra, aliás, acho que até dá uma empolgação maior para saber o desfecho da história!

Sidney Gusman disse...

Snarf, o título já avisa que tem spoiler. Repetir o aviso abaixo seria redundância!

Abraço

Ricardo S. Tayra disse...

Legal o artigo, mas esse nome da coluna me dá medo :)
Eu gosto de saber muito pouco sobre uma história antes de acompanhá-la (seja em livro, filme, ou HQ e por aí vai). Parte da graça está em adivinhar o que vai acontecer. E toda a bagagem cultural que já adquiri nesses anos todos às vezes já faz com que eu "adivinhe" antes do tempo algumas coisas, o que eu já acho um tanto chato. Faz parte da graça eu ser surpreendido. Eu fiquei com a pulga atrás da orelha naquela cena da mãe do garoto sentada ao lado do Bruce Willis em Sexto Sentido, mas ainda bem que não consegui identificar na hora o que era, só saquei segundos antes da revelação final. Também dei graças aos céus por ter ido assistir Matrix sabendo apenas que era um filme de ficção científica (e olha que, pra mim, isso já é dica demais, considerando os primeiros minutos)
Claro, boas histórias merecem ser lidas/vistas e de novo e de novo... Mas eu quero o maior número de surpresas possíveis, por favor!
PS: não curto também este termo "spoilers" e acho que ele ainda não é tão popular assim para prescindir de uma explicação do que vem a ser o dito cujo (senão o leitor pode descobrir da pior maneira, como aconteceu comigo no passado :)).

Jáder, O Pitoresco disse...

Sinceramente eu nunca fui muito incomodado com spoilers. Acho EXTREMAMENTE RÍDICULA e ESTÚPIDA a mania de certas pessoas ficaram brigando porque alguem revelou um spoiler! E daí se descobriu por acidente que fulano morre no final?! Vai deixar de ver por causa disso! A mim não importa se a pessoa conta o filme inteiro quando eu faço questão de ver!

robsonfirmino2003 disse...

os spoillers seriam muito interessantes e muito bem vindos, se feitos por um vidente camarada, em relação aos jogos da seleção brasileira, tipo assim nas capas dos principais jornais do país e do mundo:

brasil empatará hoje em 0x0 no mineirão com a argentina...

mais um empate desastroso hoje no engenhão contra a bolívia em 0x0...

por favor, não vão hoje ao maracanão pois o jogo será mais um tremendo desastre, pois brasil novamente empatará em 0x0, agora com a colômbia...


esses spoilers seriam muito bem vindos e evitariam muitos transtornos e perda de tempo hahaha...

Eduardo Nasi disse...

Bem, vamos lá.

Antes de qualquer coisa, agradeço a bondade dos eventuais elogios.

Snarf, desculpe, mas o fato é que, além do aviso do título, essa notícia esteva em todos os jornais e sites noticiosos durante pelo menos um dia. É muito difícil uma pessoa não ser impactada pela notícia.

Blaze, aquele especial era ruim mesmo. Foi o ponto mais baixo de toda a morte do Superman.

Valdir Souza, não foi só a Folha, como comentei no artigo. Até o New York Times fez a mesma coisa, numa materinha bem parecida -- com um depoimento do Johns, se bem me recordo.

Ricardo S. Tayra, você tem razão: o termo spoilers mal funciona na comunidade de quadrinhos, séries de TV e nerds. Pra quem é de fora, está longe de ser um termo consagrado. Repare que há tagline de spoiler do Universo HQ não usa a palavra spoiler. Nem sei quem criou isso, mas acho uma boa.

Amalio Damas disse...

Sabe o que eu acho, todos os super-heróis deveriam morrer. A Marvel e a DC deveriam determinar um ponto no qual a vida dos super-heróis seria contada em sei lá, cinco ou dez anos, após isso, os criadores escreveriam arcos de histórias inseridas na cronologia anterior, porque do jeito que está é mais ou menos isso, mas com uma linha que não cria jovens leitores e nem cativa os mais velhos. Emquanto isso, seriam desenvolvidas novas séries com idéias inéditas, porque o mercado alternativo está aí pra provar que isso é possível. Outra saída, criar um universo tipo Maurício de Souza, onde a passagem do tempo não existe (exceção feita à Turma da Mônica Jovem), assim não teriam que inventar acordos infernais e transformar o Homem-Aranha numa cópia do Spawn, uma ironia. A melhor de todas seria ter sempre os melhores criadores envolvidos com liberdade editorial, porque será que Sandman, Watchmen, Liga Extraordinária, Preacher, Planetary, Reino do Amanhã, Marvels, serão sempre lembradas. De qualquer forma, acho uma opinião meio exagerada, porque o mercado precisa tanto de Machado de Assis, quanto de Paulo Coelho para existir, portanto, esqueçam o que falei. Quanto aos spoilers, tanto faz. E daí que o Jonathan Kent morreu? Daqui a pouco socos na realidade, a saga Crise Definitiva Mesmo Pra Valer, o contato prolongado com células Kriptonianas ou o clone do mal criado por Lex Luthor, podem trazê-lo de volta num piscar de olhos. Não percam as esperanças.

Lucas Pimenta disse...

TEm q existir mais quadrinhos independentes, como defendeu Robert Kirkman... ao contrário de Bendis.

Nesses quadrinhos teremos boas histórias (quase sempre) sem ficar amarrado a anos de cronologia que resolvem bagunçar e depois arrumar com crises e guerras...

E ler os clássicos marvel e dc, sem acompanhar nada mais de novo deles...

Liber disse...

Ótimo texto, Nasi. Concordo com o Goida, que uma história realmente boa não precisa se segurar nas "surpresas" dos eventos.
Entretanto, sempre me lembro que quando li "A Estação das Brumas" pela primeira vez, uma das coisas que mais me fascinava era como o Gaiman ia resolver aquela situação. E se alguém chegasse e me contasse a simples solução, eu acho que não teria curtido tanto assim a história.
No fim, hoje em dia quem tem que se cuidar é o próprio leitor. Quem não gosta de spoiler é quem tem que tentar evitá-los, simplesmente não lendo colunas especializadas e afins. E nem sempre isso funciona, como é o caso da supernoticiada morte do papai Kent.
Enfim, vida de leitor é dureza, né? ehhehe
Abs