04 março 2008

Novos leitores: fatos e fotos



A moça em cima é a Beth. Ela fez essa foto em homenagem aos leitores de quadrinhos. Já explico o porquê.

A Beth gosta de quadrinhos. Gosta. Não gasta todo o seu régio porém suado salário com gibis. Não está na comunidade da Marvel no Orkut. Não lê o Universo HQ todo dia, e suspeito até que nunca tenha sequer entrado no site. Mas ela senta na mesa em frente à minha e, assim, percebo que gosta de quadrinhos a ponto de, pelo que percebo, ler o Laerte, o Angeli e o Calvin todos os dias.

Outro dia, ela me ligou na hora do almoço: queria comprar HQs em álbuns e precisava de dicas. Porque curte as tirinhas do Rei Emir no G1, comprou O Livro Negro de André Dahmer. Porque queria entender o Jodorowsky, pegou o primeiro volume do Incal.

Só que a Beth não ama quadrinhos desesperadamente. Ela gosta, assim como tem gente que gosta de pescaria, de cinema, de vôlei, de andar de bicicleta. É mais uma das muitas coisas que ela faz.

Foi por isso que, convidado para falar em um evento da Panini sobre os 70 anos da DC Comics, achei que seria bacana se ela fosse junto. "Vai que ela curte", pensei.

Ela foi. E até bateu um papo com os editores da Panini. Ou, pelo menos, na medida do possível, tentou, como o trecho de diálogo verídico abaixo pode comprovar:

"Quem é esse?", ela perguntou, apontado pra uma revista.

"O Lanterna Verde", respondeu um dos editores.

"Quem? He, he, que nome mais engraçado."

Logo depois disso, saiu, comprou uns livros e ficou na platéia. Acabou saindo numa das fotos do evento, que circularam por aí na internet, inclusive aqui no blog.

Superman: Crônicas

A careta, vamos admitir, é ingrata. Por conta dos olhos esbugalhados e da mão na boca, a Beth acabou sendo chamada de "retardada" por um fã de quadrinhos em um fórum.

Mais que isso: ela ficou sabendo. Achou divertidíssimo. Mostrou para todo mundo. Deu um print screen no comentário do sujeito e mandou pra família e pros amigos. E, pelo telefone, ria alto, dizendo algo parecido com: "A única coisa que eu consigo entender de todo este fórum é que eu sou retardada".

Ela não levou a mal. Outro dia, em um almoço no japonês aqui ao lado, viu o sombreiro que caiu da parede do restaurante vizinho. Então pediu pra eu tirar uma foto no celular pra mandar pros leitores de quadrinhos. E repetiu a mesmíssima careta, a que a consagrara como "retardada", de um jeito ainda mais bizarro: com chapéu!

E eu, depois disso tudo, fiquei com a impressão de que a Beth lê muito menos quadrinhos que eu, mas se diverte muito mais.

16 comentários:

Sidney Gusman disse...

Xingaram a Beth num fórum, Nasi? Num daqueles que são um convescote da diversidade cultural? Onde se discute questões filosóficas como quem é mais forte, o Superman ou o Thor? Onde "especialistas" ditam como o mercado deveria se portar?

Ahã... E a Beth que é retardada?

Falou!

Cristiano disse...

Falou tudo, Sidão.

Eu já tinha reparado naquela foto, e sempre tive dúvida se ela estava bocejando ou horrorizada com a edição.

Marcelo Naranjo disse...

Sensacional!
:-))

Guilherme Kroll disse...

Esse cara que xingou ela num fórum é, no mínimo, um infeliz. Infeliz a ponto e julgar alguém por uma foto tirada ao acaso num evento qualquer. Como é que alguém que faz uma coisa dessas, consegue continuar se olhando no espelho. Como diria o Nasi, desliga o computador e vai ler o um livro.

Delfin disse...

A mesma coisa acontece na ficção científica, quando aparece alguém interessado e é massacrado por certo grupo mais radical do chamado fandom. Isso só prejudica para que não hajam tantos leitores de fc no brasil.

Olha as minhas áreas de atuação. Só causas perdidas. E todas apaixonantes.

A Beth podia ser nossa leitora-símbolo (como existem os torcedores-símbolo em times de futebol). O que acham?

Igor disse...

Sidão falou tudo.
E o Delfin completou: é por causa desse tipo de coisa e comportamento que os mercados se tornam cada vez mais restritos, se vc não é fã o suficiente, vc não é digno de pertencer ao MEU grupo.
É a vingança dos nerds por terem sido párias sociais por tanto tempo.

Bone

Eduardo Nasi disse...

Ela tava fazendo careta, Cristiano.

Beth. disse...

Então, eu Beth que vos falo, digo que o moço que me chamou de retardada poderia facilmente topar numa esquina com o Rei Emir Saad (que eu amo e queria ser esposa dele, mais o do livro com os traços inocentes do que o do G1 mais agressivinho) e receber um castigo: viajar em uma nave intergaláctica para o mundo dos verdadeiros retardados. Lá, ele seria recebido por Jodorowsky que o conduziria para o caminho inexplorado da alma.

HAHAHAHAHAHAHA eu me divirto mesmo com isso, a vida é bem mais legal. E eu moraria na caverna do Batman (rico) feliz da vida.

Beijo Beijo

Celso disse...

quando eu vi a foto fui contaminado com aquela vontade de bocejar... sabe, quando você vê alguém bocejando e dá vontade? Só de escrever isso eu já fiquei com vontade de bocejar (aposto que você tb).
Mas enfim, é isso aí, Beth! Nova musa dos quadrinhos!

Obs. Seu texto é meio.. ahn.. "apaixonado", Eduardo... você anda vendo coraçõezinhos rodeando sua cabeça ultimamente? Since Beth?

Eduardo Nasi disse...

Hahahah!
Não fui eu que a chamei de musa, Celso. Parece que a paixão está na sua cabeça, não na minha.

Victor disse...

hehehehe!!! Na boa, fanboy que considera quadrinhos um clube hermético do qual orgulhosamente faz parte é o que há de mais retardado. No fundo, não consigo me identificar com muito fã de quadrinhos que tem por aí no mundo afora. Na maior parte das vezes, é deprimente. Na 'comic store' aqui da minha cidade, eu procuro ir nos horários em que os típicos fanboys não vão (até o cara do caixa notou minha estratégia e brincou comigo um dia). É sagrado: nos sábados de manhã, os membros desse clube hermético e sagrado dos quadrinhos (principalmente de heróis americanos) vão na 'comic store' da minha cidade, ficam parados em grupos olhando as prateleiras, e competindo entre si para ver quem sabe mais sobre o último lançamento ou sobre o artista mais 'hype' do momento.

Cristiano disse...

Também não suporto fanboy discutindo cronologia. Ou quando conversam sobre HQs como se as histórias fossem reais (igual àquelas tias velhas que ficam discutindo novela: "Ele é um canalha mesmo! Nunca deveria ter largado ela pra ficar com aquela perua!"). Ou quando dão chilique porque o filme não é uma adaptação literal, ou porque algum escritor resolveu "destruir" a cronologia (ô palavrinha que eu detesto!). Pra falar a verdade, não suporto fanboy nenhum.

Liber disse...

Fãs radicais são um problema em qualquer situação.
Novamente, o Sidney falou tudo. E ainda bem que a Beth tem uma cabeça boa e não deu bola pra isso, porque eu achei esse episódio bem constrangedor.

abraços

Beth. disse...

Pera gente, amanhã vou à Festcomix (é assim que se escreve?) tentar encontrar o Rei Emir. Ou vocês estão me dizendo que ele não existe e que devo desistir?!?
hahahahahahaha

Lucas Pimenta disse...

Genial!!!....
risos

já virei fã da Beth, que poderia muito bem virar personagem de tirinha, na mão de algum dos nossos talentosos amigos...

Anônimo disse...

galera em massa querendo comer a beth.