04 agosto 2007

Olha no que deu...

Taí o resultado. O tiro dado por essa onda de megaultrahipersagas que mudarão pra sempre os super-heróis das editoras dos Estados Unidos já começa a sair pela culatra.

Confesso que, mesmo já esperando algo do tipo, fiquei impressionado com a forte reação negativa dos leitores à maxissérie Countdown, da DC Comics.

Em dezenas de fóruns de discussão e blogs norte-americanos que visitei, estão metendo o pau na série de uma forma contundente.
E essa é "só" a opinião dos leitores (incluindo os brasileiros que têm acesso às edições gringas, como se vê por aqui na internet). Porque em sites de notícias do calibre do CBR News e até no Newsarama, mesmo que, algumas vezes, com opiniões mais comedidas, o descontentamento da crítica especializada é geral.

Os motivos, além da clara má qualidade das histórias, é o fato de ser outra desnecessária saga-crossover que levará a outra desnecessária saga-crossover, e que está forçando os leitores a gastar muito mais pra acompanhar vários outros títulos ligados a Countdown.

Essa nova série semanal da DC tem vendido quase 300 mil exemplares por mês. Entenda bem: a série tem vendido isso mensalmente, em média, mas as vendas de cada edição (são quatro ou cinco por mês), de acordo com informações divulgadas pela distribuidora Diamond, estão perto da casa dos 60 mil (pois já vem diminuindo de forma gradativa, perdendo de 1% a 2% de leitores por edição).

O que será que vão fazer pra recuperar essas vendas? Talvez, como é de praxe, bolar uma nova grande saga, provavelmente intitulada Crise Derradeira: Agora é pra Valer, Pessoal, é a Última, a Gente Jura.

Eu realmente espero que isso sirva de lição não só pra DC, mas também pra Marvel, que já vai emendar outra megahiperblábláblásaga que... bem, que mudará pra sempre os super-heróis da editora.

Tenho medo, muito medo do que vem por aí.

5 comentários:

Dan_(-_-)" disse...

Ok, eu mereço isso, depois de alguns anos de revolta e virar um idiota que não lê quadrinhos, culpa da famosa Zero Hora, (sim, segundo minha filosofia de vida só idiotas não lêem quadrinhos e não assistem desenho animado); voltando, agora invento de voltar a ler justamente na tão famosa e dolorosa de se ler saga, Crise Infinita, infinita é a minha crise, eu quero ler quadrinhos, os meus quadrinhos, os que eu gostava, quero eles de volta, quero tudo como antes, crossover, e mais crossover, dentro de crossover, eu não agüento, e tem a tal 52, que to até com medo de começar a ler, agora uma pergunta., que bendita revista é aquela que tem na capa uma mulher (eu acho que é uma), segurando um cajado com uma lanterna verde pendurada? Desculpem a noobice, mas estou realmente muito, mas muito desatualizado, e meu cérebro esta em crise, depois dessa tal crise, é muita crise...

PS: Mas a final a Dc sempre tem a vantagem de poder destruir o univerço e fazer tudo de novo, de novo, de novo, de novo...

Amalio disse...

Eu acho que a DC está fazendo a maior burrada da vida dela. Antes as editoras se ressentiam sobre não conseguirem criar novos leitores, mas pelo menos existiam ainda os fãs fiéis para compensar as perdas. Mas agora, além de afastar os novos leitores com essas tramas rocambolescas, ainda estão perdendo leitores antigos. Eu por exemplo hoje só compro as revistas do Batman e da Liga da Justiça, as outras sinceramente não me atraem mais. O evento 1 ano depois, serve tanto para quem começa ou para quem deixa de acompanhar os gibis.

Renato Rosário disse...

Realmente, pode ser um tiro no pé dos quadrinhos de heróis Marvel/DC.
Mas a culpa realmente é realmente da cúpula editorial da DC, que sempre apela para sagas imensas quando as vendas caem... Como essas sagas sempre trazem leitores que tinham parado de acompanhar, a Marvel fica com medo de perder mercado, e inventa uma saga para competir e aí vira uma bola de neve.
Já passou da hora da DC focar nos principais personagens e buscar melhores roteiristas, deixando as grandes sagas pra lá.
Caso queira atrair novos leitores, crie um universo "Ultimate" ou "Geração DC", começando do zero, e mantenha os títulos tradicionais. Ou seja, nessa hora, talvez valha a pena a DC aceitar e começar a copiar a Marvel.
Abraços!

Wagner disse...

É, eu sinto falta das história "auto-contidas".

Agora, além da mini-maxi-mega-série devemos ler todas as outras revistas da editora?
Foi por isso que nem cheguei perto da 52.
Já chega o que o "mix" da Panini te obriga a fazer, misturando histórias ótimas com as tranqueiras só p/ nos obrigar a comprar a revista toda por uma, às vezes duas, histórias boas?
Não, obrigado.

Pedro disse...

Mudar pra sempre os super-heróis da editora? Mas... Eu gosto deles como eles são!

Ou melhor, como eram antes do Homem de Ferro virar fascista e o Homem-Aranha virar avatar do totem das aranhas...

Como sempre eu repito: Se tivessem comprado a linha européia da Panini, teriam lido HQs melhores!

Hunter (Pedro Bouça)