26 janeiro 2011

Veja algumas páginas de Cripta - Volume 1


Outra novidade da Mythos é a série Cripta, cujo primeiro volume chega ao mercado nos próximos dias.

Veja uma prévia dessas HQs de terror, que fascinaram milhares de leitores nos anos 1960. Para ampliar as imagens, clique sobre elas.









6 comentários:

Marcelo Almeida disse...

O grande problema da Mythos são os altos preços, a má qualidade gráfica de acabamento (em alguns casos) e a periodicidade. Fora isso, é uma baita iniciativa. Terror antigo em HQ sempre é bem vindo.
Eu queria muito tb que alguma editora brasileira se habilitasse a relançar Love and Rockets além das histórias do Conan escritas por Roy Thomas e desenhadas por Windsor-Smith e John Buscema. Esse material podia sair em encadernados com bom acabamento (a qualidade gráfica das revista do Conan da Abril era sofrível) pra alegrar os leitores de longa data.

Daniel Ribeiro disse...

É um ótimo material, mas como o Marcelo disse, um dos problemas da Mythos tem sido os preço altos, bem fora da realidade, cobram R$ 44,90 por um álbum que a Panini lança com as mesmas características por R$ 24,90, um absurdo!
Parei de ler Hellboy depois que começaram estes preços abusivos e a queda da qualidade!
Espero que tenha um bom preço de capa, para que eu possa colecionar a Cripta e com lançamentos periódicos.

Luiz Sardinha disse...

Sidney você sabe se estas histórias foram publicadas originalmente em preto e branco ou coloridas?

Piroca de Fantasma é Geladinha disse...

Sardinha,
as revistas da Warren (Eerie, Creepy, Vampirellla, The Rook, 1984) eram todas em preto e branco e em formato grande (formato magazine, tipo tamanho da Veja.
A Marvel meio que imitou esse padrão quando lançou The Savage Sword of Conan e outras revistas em formato magazine, com temática um pouco mais adulta. Saudade de Howard, the Duck em formato grande. Tenho elas em algum lugar, mas é difícil achar.

gustavo A disse...

realmente os preços da mythos nao ajudam e o descompromisso com o leitor é grande.
gostaria de fazer esta coleçao se o preço ajudar.
começei a ler quadrinhos na decada de 80, mas os da cripita nunca li.

Charles disse...

Estou no aguardo dessa edição desde que anunciaram.

Quanto à Mythos, pra mim sempre foi uma editora estranha, sempre lançando edições com preços acima da média e, não raramente, mal-acabadas/editadas.

Fora isso, antigamente era bem comum encontrar suas publicações, um ou dois anos depois do lançamento, empacotadas com preços ridiculamente baixos. Acredito que muita gente se fartou comprando as várias séries Elseworld, publicadas por ela, gastando muito pouco (e em muitos casos, as histórias e/ou edições são tão ruins que realmente não valem mais do que dois reais). Me lembro que comprei as duas minisseries do Batman vampiro por R$1,99 cada pacote (essas minis são legais, por sinal).

Faziam isso com encadernados também, enlouqueci de raiva, após comprar Hellboy: A mão direita da perdição (capa mole) por R$ 19,90 (um absurdo na época), pra algum tempo depois vê-lo a venda, novinho e lacrado, por R$ 5,00.

Eles adotavam isso também pros fummetti. E quanto a eles, é necessário observar o preço absurdo que cobram por uma publição tão xexelenta: pequeninho, papel jornal, preto e branco por R$8,90, um roubo. Pior que muitos tem uma história tão boa que acaba valendo a pena ler, mas o preço da edição em si é muito caro.
Tem agora esses encadernados mais luxuosos da mythos, tanto de capa mole quanto dura. Normalmente eles tem um preço acima de publicações similares de outras editoras, e muitas vezes acabamento inferior(apesar de usarem papeis melhores). Minha última aquisição nessa linha foi Conan: Ciméria (um baita álbum que vale a pena, principalmente pra quem curte o mestre Corben), quando anunciaram pensei que se tratava de capa dura, tanto pelo preço, quanto pelo fato do último encadernado do Conan ter essa forma. Não, é capa mole. E já percebo que o verniz das beiradas da capa aparentam fragilidade, que vão desgrudar se passar o dedo de mal jeito. Não é o primeiro caso, e outras dessas edições de luxo da mythos já apresentaram problemas similares ou a já caracterísca falha da editora na impressão, com páginas borradas.

A editora também é imprevisível, lança quando dá na telha, não apresenta planejamento e é irregular na forma que publica seus títulos. Vejam a publicação de hellboy: primeiro minissérie, depois encadernados simples com papel pisabrite, depois com papel offset, depois outro papel que não sei o nome, mas parece folha de desenho e é horrível, daí começaram a republicação na biblioteca histórica com capa dura, continuaram a série com encadernados capa mole, mas com acabamento mais luxuoso e muito caro. Ou seja, se alguém deseja uma coleção padronizada, deve importar.

Acho isso uma droga, pois gosto de muitos dos títulos que ela publica (quando publica), como Hellboy, Conan, alguns fummetti e, agora, a Cripta. É necessária disposição, de paciencia e financeira, para acompanhar as pubicações da mythos.