20 março 2009

Prazeres e desprazeres

O luxo...Por causa do trânsito absurdo de São Paulo, faz quase dois anos que prefiro ir trabalhar usando transporte público. Além do mais, o tempo no metrô e no ônibus é ótimo para colocar a leitura em dia.

Hoje foi assim também. Mas vivi um momento engraçado. Ou seria triste?

Sempre que vou sair de casa, pego as revistas da minha pilha de leituras atrasadas. Apanhei apenas uma edição, já que ainda faltavam os dois últimos capítulos de Watchmen - Edição Definitiva para (re)ler.

E aí que nasceu a razão deste post.

Ainda no metrô, terminei Watchmen. Que leitura! Que história em quadrinhos! Mesmo sendo, sei lá, a quinta, sexta vez que a li, a satisfação ao chegar ao final continua inalterada.

Como ainda estava longe do trabalho, no entanto, peguei a outra revista: Prelúdio para a Crise Final # 7. Li exatas 15 páginas. Que porcaria incomensurável!

Decidi parar e ir até o meu destino sem ler mais nada, só curtindo e relembrando como Alan Moore e Dave Gibbons construíram esse clássico dos quadrinhos chamado Watchmen.

... e o lixoAfinal, dar sequência à leitura de Prelúdio para a Crise Final # 7 seria mais ou menos como ir a um restaurante de alto nível e saborear o melhor prato da casa e, de sobremesa, comer jiló!

Era preferível ficar só com o prato principal.

O problema, meu amigo leitor, é que não tenho nada em minha mochila para o percurso de volta para casa. Ou seja, a viagem vai ser longa...

17 comentários:

Alessandro Abrahão disse...

Também tenho esse hábito de sempre ter uma HQ na minha mochila. E também sei qual é a sensação da revista acabar antes do previsto.

Espero que tenha sobrevivido ;)

DS disse...

Hm... depois de ler este trabalho de Moore e gostar... bom... pq ainda insistir em ler super-heróis de gibis mensais? Cuidado, hein - isso é masoquismo... :D

Rodrigo Scama disse...

Putz, comigo aconteceu a mesma coisa. na verdade não no metrô, mas eu tinha reservado prelúdio para a crise prá depois do Watchmen e até agora não consegui lê-lo. mas vamos lá: É uma bela porcaria mesmo

Marcello Santo Nicola disse...

Parei com a DC por falta de grana e agora não tenho vontade de voltar. Mas JILÓ é muito bom!

Dannilo disse...

Sidney, esse Absolute está bom mesmo? Estou a fim de comprá-lo, mas tenho lido alguns comentários que me deixaram meio receoso em investir a grana. Dizem, por exemplo, que a tradução desta edição é a pior dentre as demais, e que há vários erros decorrentes de uma falta de revisão mais apurada do texto do tradutor. Esses rumores tem cabimento?

Abraço!

Victor disse...

A Disney está cancelando seus quadrinhos lá nos EUA. Escrevam o que eu digo: daqui menos de duas décadas, será a vez dos quadrinhos de super-heróis Marvel e DC. É uma fórmula surrada e cansada, que apenas leitores saudosistas com mais de 25 anos curtem.

Claro, os quadrinhos, como forma de arte, vão sempre sobreviver. Mas quadrinhos de gente musculosa vestindo colantes apertados e com super-poderes, isso é uma fórmula pra lá de batida, uma fórmula que teve seu ápice nas décadas 70 e 80 do século passado.

Sidney Gusman disse...

Danillo, a edição é bem bacana, mas, infelizmente há, sim, muito erros de revisão - de tradução não houve nada que me incomodasse tanto. Eu nem ia resenhar a edição, pois temos uma baita resenha de Watchmen no UHQ, mas o farei apenas para apontar essas falhas para, quem sabe, a Panini corrigi-las num provável reimpressão.

DS, são os ossos do ofício! Mas faltou contar o que aconteceu na viagem de volta: comecei a ler a revista e... dormi! Que beleza!

Milena Azevedo disse...

As HQs de vigilantes mascarados de hoje am dia (tanto DC quanto Marvel) são muito pobres, não dá para encarar. E sem contar que depois de Watchmen tudo o que passa por nossas mãos fica pequeno mesmo.

Claudio disse...

Victor. Se fosse a 2 anos atrás iria fazer um comentário totalmente contrário, mas andei refletindo nos últimos meses. Tenho que te dar certa razão. Acredito que não será tão radical quanto você diz. Mas, com certeza, teremos diversos cancelamentos e, infelizmente, o futuro na minha opinião não reserva notícias boas.

Está fazendo 2 anos que parei de comprar quadrinhos (DC e Marvel). Continuava com o Conan e quadrinhos ou séries esporádicas. Olhando o material de super-herói que saiu desses 2 últimos...dá vontade de voltar a comprar quadrinhos? obviamente que não. Se eu que gosto muito mesmo de quadrinhos não compro, imagina um moleque que faz uma primeira compra e topa com uma porcaria de história?? Vai perder fácil para Wii, playstation, internet, msn, orkut, etc

Eduardo Costa disse...

Oi.

Pergunta indiscreta: como você consegue tantos quadrinhos para ler?

Cortesia das editoras, tudo pago com o súor do trabalho ou outra alternativa?

Responda se quiser, não quero ser invasivo.

Grande abraço!

Toni Rodrigues disse...

O pior é que há apenas uns 3 anos, antes da primeira "contagem regressiva", a DC estava bem melhor.
O que será que está acontecendo?

Sidney Gusman disse...

Eduardo, não tenho problema algum em responder: a grande maioria recebo das editoras, por conta de editar o UHQ.

As que não recebo, compro.

Abraço

Anônimo disse...

Puxa, Sidney!

Falar mal de jiló para esse cearense que vos lê é uma baita
heresia.

Tente não fazer mais isso hehehe

Agora o que importa é que eu entendi o espírito da coisa e tô de pleno acordo contigo.

Sidney Gusman disse...

Anônimo, desculpe. É que eu detesto jiló! :-)

Abraço

lcmpereira disse...

Acredito que esse "Prelúdio" mesmo uma porcaria. Mas eu gosto de jiló, sendo assim a analogia não procede (pelo menos para min).

Sandro Almeida disse...

Comentar quanto a obra de Moore é excelente é chover no molhado. Já a li umas três vezes e sempre descubro algo novo, que não havia percebido anteriormente. É coisa para dez leituras, sem dúvida. Compará-la às histórias atuais de Marvel e, principalmente, Dc, não dá. Agora, não sei se é saudosismo de um veterano leitor ou não, mas tenho saudades dos tempos do formatinho da Abril. Tempos mais inocentes? Ou as histórias eram realmente boas, escritas por bons roteiristas? Sei lá, acho que estou ficando velho para esse negócio de HQ, embora ainda ame essa nossa arte tão negligenciada ultimamente.

Anônimo disse...

Jiló é um a droga mesmo! Só de olhar me dá nojo, ânsia de vômito! Eca! Sei lá...ainda compro Marvel, pouco, mas compro, mais até, pela arte mesmo, pois os argumentos estão inexpressivos. Não dá para deixar de apreciar a arte de um Brian Hitch ( nos Supremos e nos 4 Fantásticos ), Deodato ( nos Thundebolts ), Michael Lark ( no Demolidor ) e confesso, não sou nada a favor de se ler HQs na Internet.