12 setembro 2008

Dica de livro: Irmão Lobo

Passado distante. No território hoje conhecido como Europa, o ser humano divide-se em clãs, os quais adotam os animais como símbolos: clã da víbora, clã do corvo, clã do lobo. É a Idade da Pedra.

Vivendo à parte das comunidades, um exímio caçador de nome Pa, e seu filho Torak, sobrevivem em sintonia com o que a natureza oferece.

Porém, tudo muda quando um urso violento e descontrolado começa a destruir tudo que encontra em seu caminho. Pa é assassinado, e Torak, de apenas 12 anos, terá que usar toda sua argúcia e inteligência se quiser sobreviver.

Em sua trajetória de grandes desafios e perigos, o encontro com um filhote de lobo que mudará sua vida. E, no confronto com o urso, a descoberta de uma vingança à muito planejada.

Essa é a trama do ótimo Irmão Lobo (Editora Rocco – selo Jovens Leitores), livro infanto-juvenil de Michelle Paver, com duas seqüências já publicadas no Brasil: Espírito Errante e Devorador de Almas.

A narrativa envolvente, aliada com uma grande pesquisa por parte da autora, tanto visual quanto histórica, garantem a ótima reconstituição de época, a qual coloca o leitor se imaginando no local do protagonista, o que garante boas horas de entretenimento.

Em alguns momentos, em especial quando o ponto de vista da trama passa para o pequeno filhote de lobo, a autora chega a lembrar Jack London (um de meus autores favoritos).

Altamente recomendado. É daquelas obras infanto-juvenis que o leitor maduro pode curtir sem problema nenhum. Para ler de uma só vez, e ficar com vontade de conhecer as seqüências da série.

Afinal, leitor de quadrinhos também curte um bom livro, não?

4 comentários:

Petri disse...

Ei, se confundiu senhor
Irmão Urso é um filme da Disney, o nome do livro é Irmão Lobo...

Continue com o trabalho Naranjo

Eu acho chato umas resenhas do UHQ que reclamam de UM errinho nas edições, então, bom avisar as "gafes"

Marcelo Naranjo disse...

Valeu Petri!
Isso é consequência de operar a miopia e, estando só 50% funcional, ainda querer escrever!
:-)
Abraço

João Defunto disse...

Humm... Parece interessante...

Valeu a dica. Assim que eu terminar o ótimo "1808" de Laurentino Gomes, vou arriscar ler esse aí.

Sidney Gusman disse...

Petri, respeito sua opinião e agradeço a correção.

Mas acho que errinhos ou errões devem ser indicados.

E o fato de as editoras de quadrinhos estarem melhorando no que diz respeito ao português, é sinal de que vale a pena esse trabalho.

Abraço