12 abril 2008

Lançamentos da Panini na Wizmania Preview

Passei no começo da tarde na Comix especialmente pra pegar a Wizmania Preview, uma edição especial da revista dedicada a anunciar os próximos lançamentos da Panini - sempre um tema que deixa alguns leitores bastante afoitos

É por isso que não vou enrolar. As novidades são:

Universo DC

* A saga Sinestro Corps War (imagem ao lado), que mostra a Tropa formada por um dos maiores inimigos do Lanterna Verde, vai se chamar A guerra dos anéis. Lá fora, a história foi bem elogiada. Chegou a redimir Geoff Johns da malfadada Crise Infinita. De quebra, a arte é de Ethan Van Sciver e de Ivan Reis. Aqui dentro, tende a ser o principal acontecimento da DC no ano. E vai ser fácil de acompanhar: toda a saga estará contida apenas à revista mensal da Liga da Justiça. Começa em julho.

* O ataque das Amazonas é, de certa forma, a antítese de A guerra dos anéis. No mercado norte-americano, a série foi considerada uma das piores coisas já feitas com a Mulher-Maravilha. Depois dela, o nome de Will Pfeifer chafurdou na lama. O título vai sair em uma minissérie própria em três partes. Mas os resultados vão ecoar, pelos meus cálculos, por quatro dos títulos DC da Panini. Afinal, serão afetados diretamente, além da Mulher-Maravilha, os Renegados, os Novos Titãs, Mulher-Gato e Supergirl. O prelúdio sai em Os melhores do mundo # 12.
* Contagem regressiva para a Crise Final começa em julho. Lá fora, é uma maxissérie semanal, bem aos moldes de 52. Aqui, também vai virar uma revista mensal com 13 edições. A diferença é que esta trama é simultânea com as outras séries da DC, e acaba influenciando nas revistas. A Panini vai ter que rebolar pra deixar a cronologia em ordem ao longo do ano. Não vai ser moleza, até porque a própria DC está uma bagunça.

* Para acomodar os especiais ligados à nova Contagem regressiva, estão previstos minisséries e edições complementares. A Panini vai anunciar mais tarde quais são e que formatos terão.

* Além da Biblioteca DC 70 Anos, a Panini vai comemorar o aniversário da casa de Superman com uma edição especial, em capa dura e formato Panini. Pela descrição, leva jeito de ser uma versão mais caprichada de Marvel 40 Anos no Brasil, que saiu ano passado.

* Algumas das novidades já foram até mesmo lançadas. É o caso de Batman Extra - Ankh, que por acaso estava bem ao lado da Wizmania no balcão de lançamentos. Mas a revista anuncia também as duas próximas sagas da revista. A edição de maio trará Espantalho - Ano Um, por Bruce Jones e Sean Murphy. Em junho, Sam Kieth apresenta Batman x Lobo (imagem abaixo).



* Outra novidade já lançada é o primeiro volume de Batman - Preto & Branco. Aliás: folheei a edição, e ela parece bem bacana.

* Lobo está comemorando 25 anos - sua primeira aparição foi em Omega Man, em 1983. Por isso, as duas primeiras minisséries do personagem serão compiladas em uma edição especial. É uma das HQs de super-heróis mais doentias dos anos 90, cortesia de Keith Giffen, Alan Grant, Simon Bisley e Christian Alamy. Ponto pra Panini.

* The brave and the bold, série de Mark Waid e George Pérez que já tinha sido anunciada lá atrás para o mix de Os melhores do mundo, finalmente estréia. Em junho.

* Também já tinha sido anunciada a edição de Grandes Clássicos DC com A saga das trevas eternas. Isso sem falar da sempre postergada republicação de Starman, de James Robinson e Tony Harris.

* A ótima fase de Grant Morrison e Howard Porter na Liga da Justiça (imagem ao lado) também terá seus sete primeiros números encadernados em uma edição especial. De novo, não há previsão de quando sai.

* Depois dos Novos Titãs, a Mulher-Maravilha ganha a sua edição de Biblioteca DC. E, de novo, é uma republicação de Grandes Clássicos DC, só que com capa dura e papel melhor.

* E isso é muito maluco: há um parágrafo solto sobre Lanterna Verde e Arqueiro Verde. Não anuncia nada. O texto se limita a descrever a fase de Neil Adams e Dennis O'Neil. Como essa fase já saiu em Grandes Clássicos DC, suspeito que seja um anúncio de uma nova Biblioteca DC. Mas, a rigor, pode ser qualquer coisa.

* Ainda na linha dos especiais, as Crônicas de Batman e Superman ganham seus volumes 2 este ano. Mas a revista não menciona datas.

* O longa-metragem, pelo visto, está aquecendo as batnovidades. Ainda sem data, sai A queda do morcego, que é a afamada série dos anos 90 em que Bane quebra a coluna do Homem-Morcego. Não é a última batata frita do pacote, mas sempre vejo fãs pedindo esse material.

* Outro favorito dos leitores vai sair: a fase em que Neal Adams cuidou de Batman. Sem data, a edição especial reúne em ordem cronológica as histórias publicadas entre 1967 e 1969.

* Às vésperas da Crise Final, a Panini vai publicar o começo de toda a mixórdia: um especial chamado Crise nas Múltiplas Terras (imagem acima), com encontros antológicos entre LJA e SJA. Tomando como parâmetro a edição norte-americana de mesmo nome, é só clássico.

* Pra acabar a DC, aí vai um anúncio bem chinfrim: Tio Sam e os Combatentes da Liberdade sai em DC Especial # 18. Tô fora.

Universo Marvel

* Mês que vem começa Hulk contra o mundo, uma minissérie em seis partes que mostra a volta do monstro verde ao nosso planeta depois da sacanagem que fizeram com ele. Se o verdão está fulo, imagina o Dr. Banner! Para acompanhar desdobramentos, será preciso seguir as revistas Universo Marvel, X-Men Extra e mais três especiais.

* Vai rolar Aniquilação 2. Mas não fica claro nem quando nem como.

* A primeira novidade da Marvel que já está nas bancas é a série A volta do uniforme negro. As páginas de degustação mostram o Homem-Aranha indo ao encontro do Rei do Crime.

* Há mais Bibliotecas Históricas a caminho: Hulk e Homem de Ferro. Não por acaso, são dois personagens com longa-metragens a caminho.

* Hulk e Homem de Ferro também estréiam suas edições da série Maiores Clássicos. A do verdão é a antológica fase do Hulk Cinza de Peter David. A do ferroso compila as edições 120 a 128 do título original do personagem, em que Tony Stark enfrenta Justin Hammer e doze terríveis engradados de whisky. Sem previsão na revista, chuto que esses especiais saem na época dos respectivos filmes.

* O Homem-Aranha também ganha um novo Maiores Clássicos. Mas, no caso dele, é o sétimo volume. Mais uma vez, o astro é Todd McFarlane.

* Ganham edições definitivas a mais ou menos Guerra Secreta, a excelente primeira temporada de Surpreendentes X-Men e a ótima Homem de Ferro - Extremis (imagem acima).

* Terra X (imagem acima) também terá sua edição definitiva, mas merece ficar sozinha em um tópico. Afinal, a série é supercultuada pelos fãs, mas a Mythos (que, por ironia, hoje em dia produz o material da Panini) publicou a série totalmente dilacerada na primeira vez. Daquela vez, nem valeu. Mas, pelo jeito, agora vai. Só que, por enquanto, nada das continuações Universe X e Paradise X.

* Ash Williams, do filme Uma noite alucinante, vai enfrentar os Zumbis Marvel. A história sai dentro da mensal Marvel Max. Mais uma novidade sem data definida.

* O Punho de Ferro de Ed Brubaker, Matt Fraction e Daniel Aja sai em Marvel apresenta # 35. Já a edição # 36 traz os Fugitivos de Joss Whedon. Marvel especial # 7 mostra a demolição de Atlântida.

* Pra acabar a Marvel, mais duas que todo mundo já sabe: Vingadores - A Iniciativa começa este mês em Avante, Vingadores # 16. E Surpreendentes X-Men volta neste mês a X-Men Extra.

Outros universos

* Não entendi: segundo a revista, o Spirit de Darwyn Cooke não sai mais em seis edições. Serão apenas três.

* O jogo online World of Warcraft vai ganhar uma minissérie em três edições a partir de junho. É mais um lançamento da Panini com o selo Wildstorm.

* Outra novidade velha: Os leões de Bagdá (Quer ler a resenha do original?). Eu até já tinha confirmado até a tradução do título aqui no blog.

* Depois do especial que está nas bancas, Sonja, a Guerreira, ganha uma minissérie em três partes a partir deste mês. Originalmente, o material é da Dynamite.

* Criminal, HQ policial de Ed Brubaker e Sean Phillips para o selo Icon, da Marvel, também sairá pela Panini. É uma série pra lá de elogiada.

* Pra encerrar, a melhor notícia velha do ano: Je suis légion (imagem ao lado). Ainda sem previsão e sem formato definido.

E... ufa! Era isso que tinha de lançamentos na Wizmania Preview.

Mas na revista tem mais coisa: notas, uma matéria com os lançamentos do cinema para este ano e duas partes da ótima série Doutor 13.

Quanto aos lançamentos, confesso que esperava mais materiais europeus além de Je suis légion. Pelo que o Levi Trindade, editor da Panini, deu a entender no último Fest Comix, deve ter mais material por aí.

E pra quem chegou até aqui, uma novidade extra, que não está na Wizmania Preview: Terceira Guerra Mundial, série interligada a 52, sai em DC Apresenta.

20 comentários:

Guilherme Neto disse...

A Wizmania é deprimente, mentirosa em seu conceito.

Finge que é uma revista de quadrinhos, mas é uma revista sobre Marvel e DC.
E só. Qualquer outro tipo de quadrinho entra ali timidamente.
Os mangás, por exemplo, só fico sabendo de novidades pelo Orkut. Qual deles está anunciando nessa ou qualquer outra edição da revista?

Falta no Brasil uma revista sobre quadrinhos, de verdade.

Igor disse...

Comentei tudo que achei relevante na comunidade do orkut, pra ocupar menos espaço aqui. =)

Bone

Eduardo Nasi disse...

Novidades de mangás: http://www.universohq.com/Quadrinhos/2008/n10032008_07.cfm

Guilherme Neto disse...

Eu já estou a par dessas novidades, Eduardo.
Mas, porque a Wizmania ignora, se ela fala que é uma revista de quadrinhos??
Teve outro aí anunciado essa semana que não está nessa lista.
Porque a Wizmania ignora??
Cadê materias sobre HQs europeias??

Quando veremos uma matéria sobre Little Nemo, Corto Maltese ou XIII?? Ou sobre Epilético, Sandman, Preacher, Constantine, Scott McCloud... Acho que nunca, né? Queremos matérias aprofundadas também, e não apenas uma retrospectiva de um heróizinho qualquer.

Até aturo só ver Marvel e DC na capa por questões de marketing (ah, sim, não gosto do universo malvel nem DC), mas o miolo devia ter coisas sobre outros tipos de quadrinhos.

Basicamente, gostaria de ver uma Universo HQ versão impressa. Ou algo similar...

Eduardo Nasi disse...

Boa pergunta: por que ela ignora?

Eu sempre acho que as melhores matérias não são as que perguntam, e sim as que deixam margem para o leitor perguntar.

Daredevil disse...

Liga do Morrison? Não faz mal que demore, desde que lancem tudo!

Rafael disse...

Terra X e Je suis légion são os gibis que estou eperando.

meio ansioso, pra falar a verdade

Delfin disse...

Nasi, as duas séries dos Freedom Fighters são bem bacanas. Por que você tá fora?

Santiago Charão disse...

Freedom Fighters é cofre na certa.
Bah, tem vários especiais que eu pretendo comprar nessa lista. Já estou vendo que na minha lista de comprar vou ter que colocar uma estante nova...

Victor disse...

Novidades para tudo ficar na mesma. As únicas coisas realmente interessantes são a já divulgada publicação de "Je suis légion" e a publicação de "Criminal", que vem sendo bem elogiado lá nas gringa. O resto é resto. DC e Marvel já encheram.

Anônimo disse...

Minha única dúvida é como a Panini conseguiu publicar Pride of Baghdad, se teoricamente a Pixel tem exclusividade para lançar títulos da Vertigo!

Eduardo Nasi disse...

Anônimo, sua dúvida já foi respondida várias vezes: a Pixel abriu mão de alguns títulos. A Panini demonstrou interesse. E vai sair. Não tem mistério nenhum.

Anônimo disse...

Ah,claro, realmente não tem mistério algum! A Pixel, com todo seu apetite para publicar obras diferenciadas, abrindo mão de publicar a obra vencedora do IGN 2006 na categoria best original graphic novel, e coincidentemente a Panini, que não tem muita "tradição" nesse segmento, demonstrou interesse em publicá-la. Simples assim, né!?

Sidney Gusman disse...

Anônimo, a Pixel realmente abriu mão da obra. Foi a posição oficial da editora.

Eduardo Nasi disse...

Pra mim, um "anônimo" + uma teoria conspiratória qualquer = algo que não se deve dar muita bola.

Mas vamos lá:

1. Leões de Bagdá é legal pra caramba, mas não é a última batatinha do pacote, como você parece querer demonstrar.

2. O IGN está loooonge de ser um prêmio relevante. Basta ver que a melhor minissérie de 2006 foi Crise Infinita.

Presumo que agora seja sua vez de desfiar sua hipótese misteriosa do porquê de isso acontecer.

Marcelo Soares disse...

Terra X?? TERRA X?? Será que agora vai mesmo, ver a boa obra da Marvel em um encadernado de futuro e ter a esperança de ver suas continuações???

Espero que sim, adoro essa série.

Anônimo disse...

Antes de mais tudo, um esclarecimento. Adoro o trabalho de todos vocês e considero o UHQ e respectiva equipe o último/único bastião livre da imprensa brasileira de gibis!

Só que não tenho certezas certeiras nem sou dono da verdade absoluta!

Mas vamos lá, se ela não é a última batatinha do pacote, por que cargas d'água a Panini resolveu publicá-la?

E olhem, vejam vocês, o Kama Sutra tá cheio de posições oficiais que são pura sacanagem!

Só achei muito estranho isso e humildemente desconfio (atentem, aqui não há qualquer assertiva nesse sentido) que se a Panini decidir publicar qualquer coisa da Vertigo/Wildstorm, curiosa e coincidentemente a Pixel vai adotar a posição oficial (uia!) de abrir mão da publicação de tal obra! Em suma, a exclusividade deles só vale para o que a Panini não quiser publicar aqui!

Abralhos a todos!

PS.: Eduardo, não vai deixar a Ana Paula Maia na mão, hein!?

Eduardo Nasi disse...

Olha, Anônimo, infelizmente você está errado. Não tem história misteriosa nenhuma nesse caso, e olha que eu cavoquei essa história. O que pra Pixel seria um grande lançamento virou, pra Panini, mais um produto diferenciado para livrarias. E o caso de Heroes é outro: direitos licenciados à parte, uma situação que já estava descrita na entrevista dos editores da Pixel logo que fecharam o contrato.

Pedro disse...

Só o Je suis légion de europeu? Sigh!

Hunter (Pedro Bouça)

Sobrinho da May disse...

Rapaiz, vou tomar um preju esse ano... tem muita coisa aqui que eu quero rsrs
Q bom que vão publicar edição definitiva de Surpreendentes X-Men. Como não tenho estômago pra ler o monte de histórias mutantes insossas e genéricas que saem, não passei a colecionar X-Men Extra. Vai ser muito bom poder ler o trabalho de Whedon e Cassaday sem ter ficado puto por ter pago por mais três histórias ruins! Muito legal sair Terra X tbm e, mesmo sendo caça-níquel, vou gostar de ler a Queda do Morcego...