15 março 2007

Os livros de bolso da Marvel

Tanto quanto de quadrinhos, também sou leitor contumaz de livros. E, quando dá pra juntar os dois elementos, melhor ainda pra mim.

Esse é o caso da linha de livros de bolso da Marvel, que a Panini lançou no Brasil no final do ano passado. Já li Homem-Aranha: Ruas de Fogo e X-Men: Espelho Negro e confesso que gostei. Leitura agradável, histórias bem desenvolvidas... enfim, valeram cada centavo, se não forem levados em contas os muitos e absurdos erros de português.

Considero o do Cabeça-de-Teia o melhor, até agora. Comecei a ler hoje Wolverine: Arma X, e ainda não dá pra formar uma opinião (por enquanto, só li um capítulo).

Torço pra que a Panini coloque mais desses livros nas bancas. Será que não dava pra lançar, também, alguns da DC? Tem o da Crise nas Infinitas Terras, do Super-Homem, da Liga da Justiça... A lista é grande, e bem que poderiam ganhar uma versão em português.

A propósito, que bolso seria tão grande pra caber esses livros da "Casa das Idéias"? Os troços são bem grandinhos pra fazerem parte de uma coleção chamada Marvel Pocket Books.

4 comentários:

Guilherme Kroll disse...

Na verdade, Ramone, o livro de "bolso" é qualquer livro que possamos carregar por aí. A nomenclatura surgiu durante a idade média, quando surgiram os primeiros livros brochura, q em comparação com os gigantescos manuscritos que ocupavam mesas inteiras, passaram a ser chamados de livros de bolso. Lógico que quando vemos o nome imaginamos livros que possamos carregar nos bolsos, e de fato versão americana desses livros da marvel são menores. O problema é qlivros no formatos 14x21 são mais baratos.

A histórias desses livros são bem legais, o problema são os erros, não só de português, mas a diagramação e a adaptação deixam bastante a desejar.

Marcus Ramone disse...

Vivendo e aprendendo, Guilherme. :o)
Valeu pela aula, he, he, he.
De qualquer forma, o termo "livro de bolso" sempre foi usado aqui para aqueles livrinhos que realmente dava pra gente levar no bolso. Lembra-se daqueles de faroeste que inundavam as bancas? Pois é, eu... hã... colecionava essas tosqueiras.
Quanto a essa coleção da Marvel, tem ainda o livro do Quarteto Fantástico, que deixei por último de propósito: ouvi dizer que é o melhor de todos.

Guilherme Kroll disse...

Com certeza, ou aqueles da LPM. Eu só li o Ruas de Fogo, do Aranha. Confesso q o fim me descepcionou um pouco, achei q o oautor poderia ter usado traficantes comuns ao invés de um super-vilão, mas fora isso, a história é muito boa, melhor q a maioria das HQs do aranhoso da década de 90, hehehe

Marcus Ramone disse...

E quanto àqueles policiais, Guilherme? Você acha que eles merecem ganhar uma versão em quadrinhos? Sabe, gostei daquele pessoal.