30 janeiro 2009

Todo dia é dia de quadrinho nacional
 
Hoje, 30 de Janeiro, é o Dia do Quadrinho Nacional. Essas datas são uma forma de chamar a atenção da maioria das pessoas para algo que é cotidiano nosso.

Com um pouco de sorte, alguns jornalistas se lembrarão da data e farão matérias sobre mestres do quadrinho nacional, ou sobre algum artista em destaque no momento. Muitas vezes, ela serve de pretexto para eventos aqui e acolá, atraindo pessoas, movimentando informações e novamente chamando atenção para algo que nós já sabemos. 

O Dia do Quadrinho Nacional não é para os quadrinhistas ou para os leitores, não é nem para você que lê este blog. Nós sabemos que a HQ brasileira existe; e existe de diversas formas. Pode não ser uma indústria tão gigantesca quanto em outros países, mas isso é uma questão cultural que não é culpa só dos quadrinhos, é algo mais sistêmico que não vem ao caso agora.
 
Mas, ao nosso modo, temos todos os tipos de operação: um mainstream, representado pelos Estúdios Mauricio de Sousa; autores que vão escoando sua produção ao seu modo, como por exemplo os Gêmeos Bá e Moon, Marcio Baraldi, Laudo, Lourenço Mutarelli (que migrou para literatura); autores de tiras diárias há anos no mercado, como o clássico trio Laerte, Angeli e Glauco; os que optam por emprestar seu talento para os personagens norte-americanos, fazendo sucesso na Marvel, DC e em outras editoras; além de um prolífero mercado independente, com vários fanzines e revistas de autores que se autopublicam, se organizam e vendem em um verdadeiro trabalho de corpo a corpo.

A questão é que a gente sabe de tudo isso. Para nós, notícias e resenhas de quadrinhos nacionais são algo comum. Frequentemente, o Universo HQ solta as novidades que os autores vão nos repassando, notícias que vamos atrás, além resenhas dos materiais que lemos. 
 
Enfim, isso é comum para nós, que gostamos de quadrinhos e acompanhamos esse universo, mas não é um hábito para aqueles que desconhecem toda a diversidade que existe nas HQs.

Então, é importante lembrar que este dia não é só para levantar uma bandeirinha verde e amarela, ou valorizar um quadrinho apenas por ele ser nacional. Longe disso. 30 de janeiro é mais uma chance para as pessoas ouvirem que o Brasil tem, sim, uma produção de quadrinhos e descobrir que ela é boa, e não só por ser feita aqui.

3 comentários:

Carlos EJT Vázquez disse...

E viva o quadrinho nacional!
Eu criei uma especie de campanha para apoio aos quadrinhos nacionais, olhem os links abaixo para mais informações:

http://www.interney.net/blogs/melhoresdomundo/2009/01/21/post_do_leitor_banners_de_apoio_a_hq_nac/

http://hqmaniacs.uol.com.br/principal.asp?acao=noticias&cod_noticia=18947

http://hqmaniacs2.uol.com.br/forum/viewtopic.php?f=1&t=8845

http://gibihouse.forumeiros.com/hqb-historias-em-quadrinhos-brasileiras-f5/campanha-eu-apoio-a-hq-nacional-t856.htm

Abraço! Espero que curtam!

Cláudia Dans disse...

Zé,

adorei o seu texto! muito bacana e concordo com você: quadrinho nacional é muuuuuuuuuito bom mesmo!

abraços!!!

Milena Azevedo disse...

Eu sou entusiasta, consumidora e comercializadora da HQ Nacional. Na tarde de sexta-feira, fiz um texto sobre a comemoração histórica dos 140 anos de HQs no Brasil, que está no Plog do publicitário e escritor Patrício Jr.:http://www.patriciojr.com.br/opiniao-quadrinhos-140-anos-de-historias-no-brasil-por-milena-azevedo/