11 janeiro 2010

Os melhores quadrinhos de 2009

Como já é costumeiro, na volta ao trabalho, o Universo HQ traz sua matéria com os melhores quadrinhos do ano anterior, na opinião deste jornalista.

Opto sempre por deixar para janeiro para que dê tempo de ler tudo que sai no final de dezembro.

São 20 títulos inéditos, 20 republicações (um nicho que cresce bastante a cada ano) e 10 títulos regulares. E mais uma porção de "menções honrosas".

E deu um trabalho insano, pois muita coisa legal foi publicada em 2009. Para todos os gostos e bolsos.

E como listas de melhores nunca são iguais para duas pessoas, fica aqui o espaço para que você comente à vontade os meus escolhidos e indique os seus.

Boa leitura!

23 comentários:

Anônimo disse...

Sinceramente pessoal do UHQ ... o site de vocês está a cada dia mais fraco... e não é só em conteudo não, digo que é também em sentido profissional, achei a lista dos melhores de 2009 muito, muito, muito fraca para "profissionais" como vocês ... é por isso que o Omelete está dando uma lavada em vocês ... melhorem meninos, pois sou um grande fã e leitor de vocês.

AndréBetim disse...

Olá!

Sidney, duas observações.

A primeira sobre Peanuts completo.
A respeito do trecho abaixo:

"Poucos acreditavam que esta magnífica coleção, que reúne, na íntegra, 60 anos da tira de Charles Schulz..."

Não seriam 50 anos? afinal a publicação vai de 1950 a 2000.

E no tocante ao seguinte trecho:

"A série original será concluída nos Estados Unidos em 2012, no 30º livro".

Serão mesmo 30 livros? Quer dizer que nem todos os volumes trarão dois anos de tiras, nos moldes do primeiro: 1950/1952?


A segunda é sobre Umbrella Academy.

Putz, pelo tanto que falaram desse material antes de sair aqui, sinceramente, foi uma grande decepção. Achei o roteiro muito fraco, clichês a rodo e personagens mal desenvolvidos.

A arte tb não me agradou muito. Achei parecida demais com o estilo do Mignola, mas inferior. Não por acaso os gêmeos foram convidados pra trabalhar com o Hellboy na Mini 1947. Acredito eu que a similaridade citada teve algo a ver, mas é um "achismo" meu.

Abraço!

Sidney Gusman disse...

Anônimo, é a sua opinião. Felizmente, não é a de todos que acessam o site.

Você poderia, por exemplo, dizer o que achou fraco na lista. De que sentiu falta?

E também pode se identificar. A gente não morde.

André, valeu pela correção. Foi vacilo meu. São mesmo 50 anos. Já pedi pra arrumar. E a coleção deve acabar, segundo o que apurei na net, no 25º livro, em 2016. Também pedi correção.

Sobre Umbrella, achei uma boa HQ. Como escrevi, tem clichês, mas fiquei com vontade de ler a sequência.

Abraço

Jonatan disse...

Muito boa a sua lista, Sidney. Nota-se que a Quadrinhos na Cia foi a melhor editora do ano, eu colocaria na lista dos 20 melhores Jimmy Corrigan, O Chinês Americano e Umbigo sem Fundo. Além de A Casta dos Metabarões, da Devir e Nausicaa da Conrad.
E há alguma previsão da Panini ou outra editora publicar Promethea?

Marcelo Naranjo disse...

Minha opinião sobre melhor editora de 2009: Devir. Lançaram de tudo: HQ nacional, Europeia, super-heróis, independentes, de tudo mesmo. Tiveram um ano muito bacana.
A Quadrinhos & Cia teve poucos e ótimos títulos, mas fico com a Devir.

Etevaldo Marciano disse...

A lista de obras inéditas está bem sólida, mas é uma pena ver o hediondo "Sábado dos meus amores" em 3º e Jimmy Corrigan relegado a menção honrosa (merecia no mínimo o 2º lugar).

Sempre dou moral a obras nacionais, mas essa foi muito superestimada.

alexandre disse...

parabéns ao andré de betim, vizinho meu daqui de belo horizonte, pela clareza dos argumentos apresentados.

parabéns ao sidão pela EXTENSA lista insana. realmente insana.

e eu que tava pensando que só eu tinha gostado tanto de retalhos. que bom saber que é um dos melhores do ano.

a propósito, design novo do site?

grande abraço.
alexandre.

Peregrino disse...

Ando sem saber sbre o mundo dos HQ´s mas ano passado quis muito comprar o HQ, 'Apenas um Pegrino', mas os preços são muito caros (dá pra comprar um livro)!

Liza Ribeiro disse...

Achei "Três dedos" fraca, e achei "Johnny Cash - uma biografia" genial e inovadora. Mas, enfim, todas as listas são incompletas!

Heitor disse...

Claro que todas as listas são incompletas, óbvio. Porém, acho que saíram inúmeros mangás regulares mais interessantes que Naruto, Sidão. Homunculus foi citado, naturalmente, mas poderiam fazer parte da lista Nana, MPD Psycho, D.N.A. e Futari H (este último fala de sexo de uma maneira muito bacana para a molecada). Mas de resto a lista está bem bacana, por certo.

Sidney Gusman disse...

Realmente, não tem como todo mundo concordar com uma lista. AFinal, ela é opinativa.

Veja só, Etevaldo, eu achei Jimmy Corrigan muito superestimado. Pra mim, é uma HQ boa, só.

Já Sábado dos meus amores, adorei. Mesmo com algumas HQs que não curto.

Alexandre, mudamos um pouco o design do UHQ, pra que as páginas passassem a carregar mais rápido e o visual ficasse mais limpo. O pessoal tem gostado.

Jonatan, acho que Promethea reaparece na Panini este ano. Palpite!

Abraço

Jackson Good disse...

Apesar de ser um prazer ver Mágico Vento tendo um merecidíssimo reconhecimento, a lista de títulos regulares ficou muito estranha... Universo Marvel e Marvel Max estão MUITO longe de merecerem a presença. Lanterna Verde, Avante Vingadores e principlamente Novos Vingadores foram injustiçados. E Vertigo em terceiro com apenas duas edições lançadas é uma supervalorização extrema e um desrespeito aos outros títulos.

AndréBetim disse...

Tb achei que as histórias do Lanterna estavam acima da média em 2009.

Terminei de ler meu Peanuts Completo vol. 1. F.a.n.t.á.s.t.i.c.o.! A matéria e a entrevista ao final são muito emocionantes, meus olhos encheram de lágrimas rsrs...

Peanuts realmente é uma obra inigualável, de uma beleza singela, tocante. Tem uma tirinha da pag. 59....

Leonardo Pinheiro disse...

Gostei do visual do site e das listas dos melhores de 2009. A de republicações é até covardia: Watchmen, Will Eisner, Calvin & Haroldo, Y, Terra X, Frequência Global... Esses materiais, toda vez que relançados, sempre vão entrar para a lista de melhores, não tem jeito.

Entre os regulares, Júlia Kendall, na minha opinião, é disparado o melhor título. Aliás, a sequência de melhores é bem feliz e eclética, com títulos oriundos do Japão, EUA e Itália! Só acho que Fábulas Pixel não deveria estar entre os 10 melhores títulos, não pelo conteúdo, mas pelo descaso da Pixel/Ediouro com o título, os personagens e os fãs. Além disso, senti falta de pelo menos uma menção honrosa a Marvel Action, principalmente pelo Demolidor de Brubaker. Vocês a puseram em sexto lugar ano passado! O título piorou tanto assim na opinião de vocês??

Sidney Gusman disse...

Jackson e Leonardo, como eu escrevi, é questão de gosto. Pra mim, Dimensão Dc caiu demais e as duas revistas do Vingadores tiveram um ou dois títulos bons e os demais fracos. E como a análise é pelo mix, ficou assim.

Abraço

Francisco disse...

Acho que o tal "Anônimo" comeu algum "ovo" estragado.

Fábio disse...

Da lista do UHQ, concordo plenamente com as colocações de Ranma 1/2, clássicos dos clássicos dos mangás, e também concordo com a inclusão da revista Vertigo, mesmo que tenham sido publicadas apenas duas edições.

Sei que cada um tem sua lista pessoal com suas devidas preferências, e nem tudo bate entre a lista do Universo HQ e a minha, até porque isso seria impossível. Porém, mesmo não concordando com tudo, não vou citar as coisas que não gostei, porque cada um tem um gosto bem diferente do outro, mas eu citaria pelo menos dois trabalhos que no meu entender, não poderiam ficar de fora.

DNA² pela JBC, um dos melhores lançamentos do ano, ao lado de TenTen. Não é todo dia que uma editora investe em Seinen, e quanto a isso a JBC merece os parabéns.

E finalizando minha lista, não poderia ficar de fora as HQ's de Star Wars pela OnLine, que apesar de alguns vacilos editoriais e de planejamento, também foi uma boa novidade nas bancas, principalmente para quem sentia falta dessa linha de HQ's desde a época do falecido selo dos gibis da Ediouro.

Sidney Gusman disse...

Fábio, DNA² não me encantou, mas é uma série bacana. Bem como Star Wars. Ao menos nas menções deveriam estar. Vacilo meu.

Vou pedir a inclusão. Obrigado.

Abraço

Hunter disse...

DNA2? Seinen? Desde quando? Ele era shonenzão publicado na Jump, pô!

A série é divertida e muito bem desenhada (eu tenho ela em francês, primeiro mangá que eu comprei inteiro nessa língua), mas seinen ela não é não!

Outra coisa, Sidão. Vocês podem reclamar de XIII o quanto quiserem, mas é injustiça dizer que Aldebaran foi "interrompida". Aldebaran foi publicada na íntegra, sua continuação Betelgeuse (que a Panini não tinha obrigação nenhuma de publicar, pois é um material independente) foi publicada na íntegra e só mais de um ano DEPOIS da Panini ter publicado ambas as séries (na íntegra!) o Leo lançou o primeiro volume da nova série Antares - e nem sequer saiu um segundo ainda para justificar a publicação pela Panini!

Quem comprou todo o Aldebaran da Panini leu duas histórias completas com início, meio e fim. Não tem do que se queixar!

Hunter (Pedro Bouça)

Hunter disse...

Outra coisa: Fracasso de Público não ganhou o Grand Prix d'Angoulême (nem poderia, o prêmio é dado a autores pelo conjunto da obra). Ele venceu o prêmio de "Melhor Primeiro Álbum" (não confundir com o de Melhor Álbum, que naquele ano foi para Frango com Ameixas da Marjane Satrapi).

Incidentalmente, Retalhos disputou esse mesmo prêmio com Fracasso de Público. E perdeu...

Hunter (Pedro Bouça)

Hunter disse...

A última, juro.

Aya de Youpougon já tem cinco volumes publicados na França, com pelo menos mais um em preparação.

Admitidamente, o primeiro arco tem três volumes. Se ele for publicado até o fim, mas o resto da série não, significa que ela será considerada "interrompida"? ;-)

Hunter (Pedro Bouça)

Sidney Gusman disse...

Hunter, Aldebaran é questão de nomenclatura. A Panini disse, sim, que continuaria a série com Betelgeuse. E a série deixa uma pancada de pontas soltas.

Grato pela correção sobre Fracasso de Público.

Abraço

Fábio disse...

Meio atrasado, mas quando me referi ao gênero seinen, era um comentário em relação a TenTen (se bem que essas classificações são meio dúbias), vão muito da revista onde o material foi publicado no Japão. - Mas na teoria, não existe muita diferença, em termos de contexto, entre TenTen e outros trabalhos mais "sanguinolentos" publicados atualmente. - Mas na prática, TenTen é um seinen.