10 dezembro 2008

Estréia da Coluna Ponto de Fuga - Invasão Suprema


Nesta semana, o Diego Figueira e eu estreamos nossa coluna no Universo HQ batizada de Ponto de Fuga. Vamos tentar fazer um fazer uma análise diferente dos quadrinhos, às vezes trabalhando juntos, às vezes revezando, mas sempre trazendo uma visão de outro ângulo. 

O tema da primeira coluna é como o Universo Ultimate influencia o Universo tradicional da Marvel. Então, leia o texto neste link e volte para comentar.

12 comentários:

Wilson Vieira disse...

Parabéns caros amigos Diego e Zé, pelo Ponto de Fuga...vocês são ótimos!!Vida longa para essa coluna!!

Abraços,

Wilson

André William - Trompa disse...

Também parabenizo os dois pela primorosa dissertação sobre a influência do universo Ultimate no universo "normal" da Marvel.
Continuem assim!!!

Sds.

André

ReBoTaLHo disse...

Muito boa a coluna. Uma discussão muito pertinente que demonstra bem o caminho dos comics nesses últimos anos 00. Já se pode dizer ser uma nova era (depois dos pesados anos 90)?
Até!

Mosca disse...

Parabens pela nova coluna. Texto excelente, espero que continue nesse nível. Estava sentindo falta de uma leitura sincera e critica.
abraços
Mosca.

Jailbreaker disse...

Muito bom o texto... ele veio de encontro a algumas coisas que andei pensando ultimamente. Muito se critica as "grandes sagas que vão reformular o universo" que são promovidas pela Marvel e a DC. Mas é nítida a diferença de abordagem das duas. Na Marvel, existe uma trama que se desenrola no pano de fundo há alguns anos e ela é fruto de um planejamento editorial bem definido, é conduzida basicamente por dois autores que parecem saber onde querem chegar. Na DC, parece que eles só ficam requentando conceitos e mudando o que vale ou não o tempo todo (as variadas versões dos heróis e do UDC em si ficam alternando entre elementos da era de prata e dos anos 80/90 o tempo todo).

Amalio Damas disse...

Bom lá vou eu puxar o saco de novo. Mas como diria o Jairo Marques do blog Assim Como Você, eu puxo, mas não arranco, hehehe!! Muito pertinentes os temas abordados na coluna, como a ascensão dos escritores, a influência no universo normal e o que representa o Homem-Aranha nos dois universos. Que venha a próxima.

Rafael disse...

Vou contar uma coisa: Fiquei muito satisfeito quando essas colunas semanais começaram a pipocar regularmente no site do UHQ. Tão feliz estava que despejava elogios à cada uma.
Mas a coisa logo foi me aborrecendo quando percebi que falava-se demais que a Marvel isso ou a DC não aquilo e coisa tal e tal e coisa sobre as Majors Americanas. Fui perdendo o interesse até que vi essa coluna com o nome de "Ponto de Fuga".
O Zé escreveu: "Vamos tentar fazer um fazer uma análise diferente dos quadrinhos, às vezes trabalhando juntos, às vezes revezando, mas sempre trazendo uma visão de outro ângulo." E eu descrente pensei: "Que nada! Vai falar da Marvel denovo. Não quero nem saber.". Deixei passar batido. Não li e não tava nem aí.
Mas a curiosidade é uma coisa infame. E lá fui eu "tá bom, vamos ler qualé da Marvel dessa vez".
Confesso que me embasbaquei. Era tudo verdade o que o Zé escreveu no Blog. Visão de Outro Angulo. Analise. Puxa vida... e aquela logo da coluna? com as linhas do ponto de fuga criando uma verdadeira profundidade de campo.
Cara! Parabens mesmo. Sinto-me um ex-descrente que recuperou a fé!
UHQ opera milagres.

juniupaulo disse...

Muito bom o texto. Parabéns.

Sidney Gusman disse...

Rafael, o logo - belíssimop - foi criado pelo nosso webmaster Ronaldo Barata, que manda mesmo muito bem.

Sobre o tema de algumas (não todas) as colunas esbarrar bastante em Marvel e DC, é natural, pois os assuntos estão efervescentes no momento. Mas isso não será regra. Eu mesmo estou com uma de quadrinhos nacionais engatilhada.

Abraço

Diego Figueira disse...

Muito obrigado a todos vocês pelos elogios.
Rafael, acho que o desafio das colunas e qualquer texto de opinião é justamente esse, pegar um assunto que circula bastante e dar um enfoque particular. Que bom que você achou que conseguimos.
Mas também prometemos outros temas para breve, pode confiar.
Abraços!

Jackson Good disse...

Excelente coluna. Acho que a Marvel vinha mandando bem até 2008, quando as coisas foram pro vinagre com dois personagens, que parece viver em mundos a parte: Hulk e Homem-Aranha

Explico. O Universo Ultimate foi a melhor idéia em décadas de hq's, e apesar de hoje não ser tão brilhante quanto no começo, ainda vale muito pena. O motivo é a seriedade e inteligência com que as histórias são tratadas. Você mencionou que os leitores dos anos 90 querem "realidade" e eu confirmo. Na consigo admitir histórias que me pareçam simplistas e infantis demais. Depois de ler os Supremos, Poder Supremo, Watchmen, Reino do Amanhã (só pra citar as top), fica difícil aceitar coisas como as fases atuais do Hulk e do Aranha.

A Marvel seguiu um grande evolução até Guerra Civil (e provavelmente Invasão Secreta, ainda não li, mas pelos spoilers parece manter a pegada). Por mais que alguém não goste da condução das histórias em si, não pode negar que a proposta delas é séria e faz total sentido. Não dá mais pra admitir hoje em dia, em tempos de paranóia com terrorismo, que um governo deixe superseres agirem livremente, tendo fé que são bonzinhos. É ingênuo demais. Heróis registrados (como a coluna bem cita, uma expansão do conceito existente no ultiverso) é o único cenário que faz sentido.

Então, no meio de toda essa seriedade e realidade, temos o Homem Aranha regredindo aos anos 70. Eu já discordo da cronologia magicamente alterada e do fim do casamento (pra mim a relação Peter/Mj sempre foi o mais interessante do personagem), mas tudo isso pra que? Pra histórias fracas, infantis, bobinhas... tentando emular um estilo que fez sucesso, mas em outra época, hoje não cabe mais.

Algo parecido aconteceu com o Hulk. Depois do auge em Planeta Hulk e Hulk Contra o Mundo, temos a fase horrorosa do demente Jeph Loeb. O personagem havia chegado num grau de importãncia tremendo, com histórias marcantes e seguindo um progressão lógica que não deixava outro caminho senão sua guerra contra todos. O passo seguinte foi hisórias sem qualquer trama ou roteiro sensatos, pura pancadaria desenfreada.

Em comum, os dois sofrem da "infantilização" que vai na exata contramão de tudo que resto do Universo Marvel vem evoluindo nessa década - e parece que vai continuar com Dark Reign. Meu medo é que sob a desculpa de atrair novos leitores, outros persongens passem por isso, até que tal regressão finalmente afete todo o Universo. Seria lamentável, pois não teria o menor sentido as coisas irem por esse caminho. Se a intenção é de atrair leitores mais jovens (só posso imaginar isso lendo histórias tão constrangedoramente infantis), que se criem novas linha alternativas, Marvel Kids ou whatever. É muito mais fácil pra quem vai começar a comprar, partir do número 1 do que do 542, por mais que este traga "Nova Fase" estampado na capa.

Desculpem pelo post montruoso, mas é que esse assunto rende bastante, e são idéias que estão engasgadas faz tempo.

Jeffrey disse...

Excelente artigo. Esclarecedor para quem, como eu, não tem acompanhado muito de perto todos os acontecimentos mais recentes do Universo Marvel. Continuem com esse trabalho. parabéns.