30 novembro 2008

Um dia no AnimaABC 8

No Universo HQ não costumamos cobrir eventos ligados à cultura pop japonesa, mas isso não quer dizer que não os acompanhamos.

Por exemplo, hoje eu passei boa parte do dia no AnimaABC 8, onde fui encontrar meu amigo e colaborador do Pop Balões, Adriano de Avance Moreno.

Para quem não tem idéia do que estou falando, esses eventos são grandes convenções de animê, mangá, cosplayers e outras atividades derivadas do universo pop japonês, com públicos que chegam a ultrapassar 20 mil pessoas.

O Adriano, fã de quadrinhos e animês, acompanha esses eventos há vários anos, tanto que hoje é freqüentemente requisitado como juiz para os concursos de cosplay. Sua função é avaliar a qualidade da fantasia e a fidelidade com o personagem representado. Ou seja, o cara precisa conhecer muito de quadrinhos e desenhos animados japoneses para poder saber se o cosplayer está bem feito ou não.

Só por essas fotos que coloquei no post dá para ter uma idéia do nível dessas competições. Não é à toa que os prêmios para as melhores fantasias podem ser desde um considerável cheque até motos e viagens ao Japão para participar de competições maiores.

Mas daí você se pergunta: quem são as pessoas que vão nesses eventos? A imensa maioria são adolescentes, na faixa dos 14 a 17 anos, viciados em internet e games como guitar hero (no qual se simula que está tocando guitarra) e pump it! (uma máquina que faz o jogador pisar nas setas certas, como se dançasse seguindo uma música). Para se comunicar, encontrar pessoas, fazer piadas, elas andam para lá e para cá com plaquinhas brancas com recadinhos e mensagens.

Os cosplayers são um pouco mais sérios. Eles estão lá “a trabalho”. Mas uma coisa muito legal é que costumam ser bem solícitos para fotografias. Sempre que alguém pede um retrato, eles logo fazem uma pose característica do personagem e esperam pacientemente.

O interessante é que essa quantidade de gente acaba agregando grupos menores que certamente não teriam espaço em outros lugares. Por exemplo, tem uma sala sobre Transformers, outra sobre Star Wars, uma sobre Harry Potter e por aí afora, permitindo o encontro de nichos que muitas vezes só se conhecem do Orkut ou de fóruns virtuais.

Para encerrar, um pensamento que me ocorreu durante todo o tempo em lá estive é o quanto a cultura pop, uma coisa que deveria ser efêmera, passageira, tem seus meios de ser persistente. Explico: alguns cosplayers que vi eram de personagens da minha infância, ou seja, uma ou duas décadas de defasagem dessa geração.

Pior que isso: eram personagens que, quando eu era criança já eram tidos como “clássicos” (leia-se velhinhos). E não eram só os Chaves e Pica-Paus da vida que até hoje são reprisados nos canais abertos, são coisas que saíram de circulação há um bom tempo.

Enfim, esses eventos são bem lotados, mas se você tiver uma câmera e um pouco de disposição podem ser divertidos.

P.S.: Tem mais algumas fotos no blog do Pop Balões e vai rolar uma matéria completa sobre o evento em breve.

3 comentários:

João Defunto disse...

Tenho uma baita vontade de conhecer um evento como este.

Será que aquele "bicho" de cartolão e sombrinha rosa é algum personagem do Dr. Seuss?

Cas disse...

Zé, semana passada eu fiz parte de uma banca examinadora na Casper Líbero de uma monografia de conclusão do curso de jornalismo exatamente sobre como o Animê influencia a vida do Fã, e o cara usava bastante os eventos como exemplo. Foi uma tese bem bacana do cara.
abraço.
Cassius Medauar

João Defunto disse...

Há pouco tempo vi no programa "O Estranho Mundo de Zé do Caixão" uma visita que o Mojica fez a um evento desses. Ele foi super ovacionado. Foi muito bacana.