06 maio 2008

Os quadrinhos franco-belgas em 2007

Segundo dados da ACBD (Association des Critiques et des journalistes de Bande Dessinée) e do CBBD (Centre Belge de la Bande Dessinée), foram publicados 4.313 álbuns de quadrinhos, em francês, no ano de 2007.

Deste total, 3.312 eram novas publicações, das quais quase a metade (1.371) tinha origem asiática (Japão, Coréia, China, etc.). Dos mais de três mil lançamentos citados acima, apenas 253 eram originários da América.

Os números mostram a força dos quadrinhos franco-belga, comparados com o interesse pelo material americano, e também a ascensão alucinante do mangá na Europa.

Ainda segundo o CBBD, o primeiro mangá publicado na Europa foi Akira, de Katsuhiro Otomo, em 1990, pela Glénat.

Agora comparem com o mercado brasileiro.

4 comentários:

Victor disse...

Grande parte do público do Novo Continente ainda desconhece o incrível volume de quadrinhos produzidos no Velho Continente, dentre os quais há fantásticas obras, sendo que aos norte americanos só podemos atribuir esse desconhecimento à miopia cultural, e, aos brasileiros, pelo menos por enquanto, à falta de dinheiro mesmo: há coisas soberbas nos quadrinhos franco-belgas, porém proibitivas para nossos bolsos. Podemos até comprar quadrinhos americanos na origem, face à baixa do dólar, mas com o euro ainda valorizado, ficamos só conhecendo o material europeu por "ouvir dizer".

Inominável disse...

Ei, sem querer ser chato, mas estou tendo problemas para "assinar o feed" do blog de vocês. Estou usando o iGoogle e aparece a caixa em branco onde deveria ter links dos posts. Achei isso muito estranho e decidi relatar, pois sei que os nerds sempre fizeram o próprio site, ainda que hoje em dia paguem o Barata.
E queria aproveitar para falar que o Codespoti é muito, muito chato. Fica falando o tempo todo do material que a gente não tem (fácil) acesso.

Continuem com o belo trabalho.

Pedro disse...

Eitcha, esse relatório do ACBD é publicado no início do ano. Já tem uns bons meses...

Enfim, uma coisa que se percebe nos dados mais recentes é que o mangá parece ter perdido seu gás. O volume de lançamentos se acalmou, vendas idem e até mesmo se sentem algumas retrações. Particularmente no material coreano, que está sendo sumariamente cancelado por maior parte dos editores franceses (a Soleil cancelou toda sua linha, por exemplo).

Ainda há enormes sucessos pontuais, como o onipresente Naruto e o mais recente Death Note, mas penso que até o fim da década o material "local" volta a reinar na França, principalmente se as obras em "estilo mangá" que andam pululando por lá começarem a mostrar qualidade...

O mais assustador é quão poucos dos milhares de lançamentos franco-belgas dão as caras no Brasil. Já tem mercado de quadrinhos de livraria no país, pô! Que mais precisa para as editoras voltarem a publicar álbuns (sim, porque nos anos 80 havia uma quantidade razoável nas livrarias, eu lembro!)?

Hunter (Pedro Bouça)

Bernard disse...

Eu sinto muito que tenhamos acesso mensalmente a lançamentos americanos de terceira categoria e quase nada deses milhares de lançamentos franceses chegue por aqui. Fica até difícil imaginar a incrível pluridade de novas histórias que jamais teremos acesso devido a visão unidirecional (sempre apontada para o norte) dos editores brasileiros.