31 outubro 2011

Melhores e piores de outubro

Outro mês de bons lançamentos, nos mais diversos gêneros, chega ao fim. Desta vez, os campeões de indicações na lista dos melhores do mês, com três, foram Asterios Polyp, de David Mazzucchelli, publicado pela Quadrinhos na Cia. e Tune 8, revista independente de Rafael Albuquerque.

Então, é hora de conhecer os melhores e piores do mês, na opinião do time do Universo HQ. Este mês, os desfalques são Marcus Ramone, Diego Figueira, André Sollitto e Ronaldo Barata.

Vale lembrar: as opiniões são pessoais e não precisam ser sobre um lançamento do mês.

Não há limite para as indicações dos melhores, que não são listados necessariamente em ordem de preferência; e nem pros piores.

Sidney Gusman

Melhores: Carcará (Qualidade em Quadrinhos);
Corto Maltese – A juventude (Nemo);
Castelo de areia (Tordesilhas);
Asterios Polyp (Quadrinhos na Cia.);
A celebração (A Bolha);
Os mortos-vivos – Volume 5 – A melhor defesa (HQM);
Os mortos-vivos – Volume 6 – Vida de agonia (HQM);
Garoto Mickey (Dobra Editorial);
Tune 8 (independente);
O louco, a caixa e o homem (independente);
John Constantine - Hellblazer - Origens - Volume 1 - Pecados Originais (Panini).

Pior: Guerreiro pacífico em quadrinhos (Pensamento).

Sérgio Codespoti

Melhores: Le Tueur - Volume 1 (Casterman);
Walt Disney's Mickey Mouse - Race to Death Valley (Fantagraphic Books).

Pior: Hulk vs. Dracula # 1, # 2 e # 3 (Marvel Comics).

Marcelo Naranjo

Melhores: Necronauta - O almanaque dos mortos (Zarabatana);
Castelo de areia (Tordesilhas);
Fábulas - Volume 9 - Filhos do império (Panini);
Tex Gigante # 25 - Na Trilha do Oregon (Mythos).

Pior: nenhum.

Samir Naliato

Melhores: Daytripper (Panini);
MSP Novos 50 - Mauricio de Sousa por 50 Novos Artistas (Panini);
Gen - Pés descalços - Volume 2 (Conrad);
Um sábado qualquer... (Devir);
Aquaman # 1 (DC Comics);
I, Vampire # 1 (DC Comics);
I, Vampire #2 (DC Comics);
All Star Western # 1 (DC Comics);
Action Comics # 2 (DC Comics);
Animal Man # 2 (DC Comics);
Detective Comics # 2 (DC Comics);
Wonder Woman #2 (DC Comics).

Piores: Green Arrow # 2 (DC Comics);
Hawk and Dove # 2 (DC Comics);
O.M.A.C. # 2 (DC Comics).

Eduardo Nasi

Melhores: Air Pussy (webcomic);
Action Comics # 2 (DC Comics);
Garoto Mickey (Dobra Editorial);
Street Comics by Tito na Rua (independente);
Tune 8 (independente);
1000 - Plexo holístico (Barba Negra / Cachalote);
1000 - Bebê gigante (Barba Negra / Cachalote);
1000 - La Naturalesa (Barba Negra / Cachalote);
O beijo adolescente (Cachalote);
Kowalski # 1 (Samba).

Pior: The fury of Firestorm # 1 (DC Comics).

Guilherme Kroll Domingues

Melhores: J. Kendall Aventuras de uma criminóloga # 65 (Mythos);
Fantasmópolis (Ática);
Beijo Adolescente (Cachalote);
Tune 8 (independente);
Angela Della Morte (Ovni Press);
Fábulas - Volume 9 - Filhos do império (Panini).

Pior: Aquaman # 1 (DC Comics).

Ricardo Malta Barbeira

Melhores: Preacher - Álamo (Panini);
Preacher - Às portas do Inferno (Panini);
Homem-Aranha # 114 (Panini).

Pior: Homem-Aranha # 115 (Panini).

Lielson Zeni

Melhores: Asterios Polyp (Quadrinhos na Cia.);
1000 - Desvio (Barba Negra);
1000 - Bebê gigante (Barba Negra);
Whoa, Nellie! (Zarabatana);
Temporama (Nobrow Press);
Encruzilhada (Leya / Barba Negra).

Pior: Batman # 107 (Panini).

Delfin

Melhores: The plain Janes (DC/Minx);
Janes in love (DC/Minx);
Young Liars - Volume 1 (DC/Vertigo);
Fire - a spy graphic novel, de Brian Bendis (Image);
Batman - Ano um (Abril).

Pior: Sovereign Seven - Volume 1 (DC Comics).

Zé Oliboni

Melhores: Koko be good (Leya / Barba Negra);
Touch food (webcomic);
Home Portrait (webcomic);
Dance of the flight attendant (webcomic);
MSP Novos 50 - Mauricio de Sousa por 50 Novos Artistas (Panini);
EntreQuadros - Círculo Completo (Balão Editorial);
City of Glass (Picador).

Pior: Supernatural - Origem (NewPOP).

Liber Paz

Melhores: Asterios Polyp (Quadrinhos na Cia.);
Morro da Favela (Leya / Barba Negra);
Koko be good (Leya / Barba Negra);
Crepúsculo (Abril Jovem).

Pior: nenhum.

Marcelo Santos Costa

Melhor: Daytripper (Panini).

Pior: nenhum.

5 comentários:

Delfin disse...

Abrindo os serviços.

Mais um mês quase sem ler quadrinhos publicados no Brasil. A exceção foi um clássico: Batman - Ano Um. Isso é pra ninguém dizer que eu deixei de colocar o David Mazzuchelli na lista. Ok? Eu reli por conta da animação da DC adaptando esta HQ magnífica, uma das melhores da década de 1980. E a conclusão é de que a animação honra a HQ, mas o quadrinho é insuperável.

As duas primeiras da lista são as duas primeiras partes da série de graphic novels para adolescentes The Plain Janes, de Cecil Castellucci. E, cara, fiquei com a impressão de que os editores de quadrinhos do Brasil não olham pras meninas. Ainda mais as teenagers que querem ler quadrinhos e não acham títulos para elas. Estes dois são pra elas. São bons e, olha, encontrariam o seu público, à parte dos heróis, dos adultos e dos mangás. Mas precisamos de algum editor de visão. Alguém?

Fire é a graphic novel de estreia de Brian Michael Bendis. Ele ilustra e escreve. Escreve muito. É acima da média, mesmo estando abaixo de muita coisa que ele mesmo já escreveu. Está na lista porque o Brasil ainda está por ler essas obras iniciais, que incluem as badaladíssimas Goldfish, Jinx e Torso. Novamente, precisamos de um editor de peito. E, como uma vez disse Joe Quesada: "Bendis vende".

A melhor do mês é Young Liars. David Lapham, de Balas Perdidas (Via Lettera), mata a pau nessa sua história de adolescentes insanos num mundo em que a mentira é a grande verdade. Um clássico recente da Vertigo, e aí cabe à Panini querer ou não fazer vir à luz esta pequena maravilha pop, que mistura violência, sexo e rock, mais ou menos nessa ordem.

Eu ia colocar novamente Habibi, de Craig Thompson, na lista, mas não pude. Pena: a releitura me fez crer que nem que Allah desça à Terra e resolva fazer uma graphic novel, ela seria tão significativa como Habibi. Tudo na edição da Pantheon é lindo. Já tenho medo por antecipação da edição nacional não ter a significativa capa dura da edição original.

Pior do mês, disparado: Sovereign Seven, talvez o pior quadrinho publicado pela DC nos anos 90. Não consegui ir à Rio Comicon para o Chris Claremont autografar esta verdadeira merda. Uma pena. :)

Eduardo Nasi disse...

Evidentemente, há um impacto grande da Rio Comicon na minha lista: vários independentes, quadrinhos de gente que mediei lá, que conheci lá. Foi bom encontrar várias HQs que não tinha conseguido antes.

Bianca disse...

Estava curiosa com esse Garoto Mickey, aí. A capa me chamou a atenção. O Tune 8 eu estou lendo pelo site e o Asterios Polyp eu já li metade: ma-ra-vi-lho-so.

Valeu pelas dicas, pessoal, vou investigar!

Diogo Dias disse...

DayTripper é ótimo. Finalmente os gêmeos alcançaram a maturidade artística,gosto muito de ver como as HQs e seus participantes no Brasil estão evoluindo, ontem mesmo vi uma HQ online de plano sequência muito boa chamada moinho, deem uma olhada vale a pena http://antcomix.com/moinho/

e valeu pelas dicas

liber disse...

Hulk versus Dracula???