27 setembro 2011

Um adeus ao amigo Sergio Bonelli

Ontem foi um dia muito triste para os fãs de quadrinhos, pois morreu Sergio Bonelli, o maior editor da Itália.

Para mim, a dor foi ainda maior, pois Sergio era um amigo muito querido, que já deixa saudades. Por isso, escrevi uma coluna especial em sua homenagem, que pode ser lida aqui.


Comente à vontade sobre o que achou do texto e das mais de 100 imagens que selecionei e aproveite o espaço sobre essa perda tão sentida.

14 comentários:

rarararara disse...

Muito emocionante o que escreveu Sidney... Lembrei de quando comecei a trabalhar na Ebal do Sr.Adolfo Aizen em 1989 (meu 1º emprego de carteira assinada); Não se fazem mais homens como eles! Uma perda irreparável para os quadrinhos... Grande abraço.
Wagner Alfradique Ferreira

jjmarreiro disse...

O Legado de Sergio Bonelli nunca será esquecido. Ele segue inspirando novos artistas, novos criadores e novos editores.

Fabrício disse...

Sou um grande fã de fumetti e por várias vezes já cogitei a hipótese de aprender italiano só para poder ter um um contato maior com obras que não dão pinta de que serão publicadas aqui um dia.

Ontem entrei no blog do Tex (como faço todos os dias) mantido com paixão pelo nosso amado Zeca, e li a notícia que me deixou o resto do dia desnorteado.

O falecimento de Sergio Bonelli é um baque para todos os apreciadores desse fantástico universo "Bonelliano".

Já senti a perda de um amigo e posso imaginar o quanto deve estar sendo difícil para você, Sidão, conviver com a perda.

Mas como você mesmo escreveu a melhor maneira de homenagear uma pessoa querida é mesmo recordar os momentos bons vividos ao lado dessa pessoa.

Para quem não teve essa oportunidade de ouro de travar contato com esse mito (e, apesar disso, uma pessoa simplíssima) resta recordarmos as sensações sempre boas sentidas por nós ao lermos as histórias escritas ou editadas por esse grande homem (digo isso sem medo de errar, apesar de não tê-lo conhecido) que foi Sergio Bonelli.

Que descanse em paz!

PS: as fotos estão de babar...

Sidney Gusman disse...

Fabrício, Sergio foi mesmo um cara fantástico, um daqueles seres humanos raros. Valeu pelas palavras.

Marreiro e rararara, assino embaixo.

Diego Moreau disse...

Sidão. Assim que fiquei sabendo da morte do Sergio, via Twitter no começo do dia, lembrei de você contando a (agora famosa) história da briga de trânsito. Um dos momentos mais divertidos na nossa linda noite de confraternização no HQCON.
E, Sidão, não sei se já te falaram isso. Mas você aprendeu mesmo com o mestre. Pois todas as qualidades, pessoais e profissionais, que destacou em Bonelli você também possui.
Parabéns pelo lindo texto.

Sidney Gusman disse...

Obrigado, Diego. Se consegui transmitir no texto o quanto aprendi com o Sergio Bonelli, fico feliz.

Abraço

GCGoulart disse...

Fala Sidão. Belo texto cara. Eu já sabia o quanto você tinha pelo velho italiano. Bom, agora todos sabem pelas letras de nosso melhor jornalista da área. Uma pena realmente a morte da grande figura. E nesses momentos: o que dizer? Fica meu abraço.


Gustavo Goulart.

Alessandro disse...

Grande Sidney,

Fiquei emocionado lendo sua matéria, eu que sou grande fã dos Bonellis.

O que você viveu não tem preço.

Grande abraço!

Sidney Gusman disse...

Valeu, Gustavo e Alessandro.

Abraço

Jean Karluz disse...

Sidney! Rapaz, lindo texto... transmite bem as lembranças de um momento maravilhoso para ti. Confesso que se pudesse e na época faria o mesmo que ti, rsrs... Apesar de conhecer pouco o trabalho do Bonelli, quando li a notícia da morte dele me senti um tanto órfão por assim dizer... é verdade! Pode parecer estranho, mas sempre que um quadrinista se vai me parece que foi um parente ou amigo... costumo pensar que todos os quadrinistas (que se conhecem ou não) são parentes, rsrs. Pelo seu texto, percebo como o Bonelli, mesmo com todo o sucesso profissional e financeiro, ainda era uma pessoa simples e humilde... Características estas, de grande artistas... fica agora a estranha sensação de saudade... que todos possam seguir em frente, com as boas lembranças desse magnífico artista que encantou gerações...

Abraços quadrinísticos

Guilherme Veneziani disse...

Sidney,
Consegui só agora ler o seu texto e reconheço que pouca vezes li algo que transmitisse tanta emoção sem ser piegas ou superficial. Deixou a clara impressão de que todos nós perdemos um grande amigo e uma pessoa admirável.
Abraços
Guilherme

Sidney Gusman disse...

Guilherme e Jean, valeu pelas palavras. E fico feliz de ter transmitido no texto o quanto eu gostava do Sergio.

Leo Vinhas disse...

Texto emocionante para qualquer fã de quadrinhos, profissional do meio editorial ou ser humano que não foi embrutecido pela insensibilidade moderna.

Obrigado por compartilhar isso conosco, Sidney!

Altemar disse...

Caro Sidão, bom dia!
Realmente, você foi um privilegiado em conhecer e ter a amizade do grande Bonelli. Seu texto, muito bem escrito me deu a ideia de que ele era uma grande ser humano também. Sinto um pouco mais a sua perda, pois ele me deu algo que uso diariamente como instrumento de incentivo pessoal com minha carreira: um editorial elogiando meu trabalho. Não tive o prazer e a honra de conhecê-lo pessoalmente, mas o Sergio marcou minha vida, posso garantir.
Obrigado Sidão por mostrar um pouco da pessoa e profissional que ele é.
Obrigado, caro Sergio por ter contribuído com nosso mundo!