21 outubro 2009

Esses tais quadrinhos abstratos

Nesta quarta-feira tem coluna atualizada no Universo HQ. É a Cada um no seu quadrinho.

Desta vez, o jornalista Eduardo Nasi aproveita o gancho do lançamento do livro Abstract Comics, da Fantagraphics, nos Estados Unidos, para falar dos tais quadrinhos abstratos e as possibilidades que eles oferecem.

Será que isto sai no Brasil?Mais do que isso. Ele ainda faz um link com a chegada dos leitores eletrônicos, como Kindle, ao Brasil e as possibilidades que essas mudanças oferecerão aos autores nacionais.

Para conferir o texto, é só clicar aqui.

E, como é costume, pode comentar à vontade.

8 comentários:

Darsh Arts disse...

Como faz para publicar uma HQ pelo Kindle??
http://darsharts.wordpress.com/

Eduardo Nasi disse...

Aguarde os próximos capítulos.

Decenauta Xiita disse...

Pra ser sincero,eu acho a arte abstrata a coisa mais imbecil que existe, seja em pintura, quadrinhos, onde quer que se manifeste.

Anônimo disse...

Concordo com o Dcnauta

Rafael H. Olivato disse...

Acho precipitado generalizar, embora eu concorde que o nível de abstração às vezes é exageradamente elevado. No entanto, se for bom (seja lá o que "bom" signifique), que mal tem?

Nunca li nenhum quadrinho (declaradamente) abstrato, mas fiquei com a vontade de ver onde isso dá. Boa coluna, Nasi. Recomendações não usuais são sempre interessantes (e causadoras de calorosas discussões).

Valeu!

Frederico disse...

Eu nao quero ser preconceituoso pois nem li tantos quadrinhos abstratos. Mas o que vejo ate hoje e so mais pro umbigo do proprio autor

Um abraco;

Frederico Dutra Vieira

João Henrique Belo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
João Henrique Belo disse...

Eu não sou tão radical... concordo com o rafael.
Na minha opnião quadrinhos abstrato tem de ser feito como uma obra de arte.
Se um artista consegue exprimir seus conceitos de forma plástica como Eduard Munch com "o grito" ou como picasso... que mal tem? (ainda concordando com ricardo)

Dnovo acho que está nas mãos dos artistas produzirem "imagens conceito". ai fica o critério de quem gosta e não gosta.