03 fevereiro 2007

Entrevista com a Pixel no ar

Deu um trabalhão, mas a entrevista com o pessoal da Pixel ficou pronta. É só clicar no link.

Demorou, mas saiu a entrevista
Espero que todos curtam. E muito obrigado aos mais de 100 leitores que, em pouco mais de duas horas, enviaram tantas perguntas.

10 comentários:

Augusto Santana Jr. disse...

Ótima entrevista! Só lamento que não se tenha falado um pouco mais da ABC, cujos títulos -- vá lá -- são menos numerosos que os das linhas Vertigo e Wildstorm, mas, em contrapartida e em minha mui humilde opinião, são os que mais merecem ser lidos e colecionados. Igualmente me incomodou a possibilidade de Tom Strong, Promethea & Cia. virem a ser publicados em outro formato que não o de álbuns, tendo em vista a qualidade desse material e o tipo de público que mais se interessa por ele. Taí: como é que eu faço mesmo pra tomar parte dessas enquetes que a Pixel pretende promover entre os leitores? Eu também gostaria de poder apitar...

Sidney Gusman disse...

Augusto, os editores da Pixel se mostraram prontos para receber sugestões de leitores.

O e-mail do Odair é odair@pixelquadrinhos.com.br

Guilherme Veneziani disse...

Muito boa a entrevista! Devorei tudo tão depressa de depois com mais calma vou ler tudo de novo. De qualquer forma acredito que as linhas gerais foram definidas e o respeito ao leitor será o ponto chave da linha editorial da PIXEL. Fiquei feliz que Planetary, Authority, Preacher e Fábulas serão publicadas a partir do ponto que pararam na DEVIR. Parabéns pela matéria e ressalto outro ponto que comentei no Blog dos Quadrinhos do Paulo Ramos. Vocês sempre prezam pela ética nas noticias publicadas, sempre respeitando o "concorrente". Infelizmente isso deveria ser praxe no jornalismo, mas como não é, vale o elogio. Abraços

Ricardo Malta disse...

Achei muito boa a entrevista, e melhor ainda as respostas do Forastieri.

A questão de preços mais populares, tentar trazer novos leitores para o universo Vertigo (Pixel Magazine), continuar o trabalho que algumas editoras vinham fazendo, consultar leitores... tudo altamente positivo do meu ponto de vista.

Pena que só em abril vou poder ler a Pixel Magazine.

Abraços.

Rodrigo Sava disse...

Sidney, você e o UniversoHQ estão de parabéns pela entrevista!! Agora deixa eu voltar pra ela, que a leitura está ótima ;ppp

Zé Wellington disse...

Boas novidades virão este ano então! Salve, Pixel!

Aproveitando o gancho sobre artistas brasileiros na entrevista (eu não desisto desse assunto), vocês já divulgaram na UHQ algo sobre o ComicSpace? Se sim, vale lembrar do serviço agora, que recentemente habilitou a hospedagem de HQs dos seus usuários, isso fora a possibilidade de contato com bam-bam-bams dos EUA, como o Brian Michael Bendis e outros.

Eu já fiz o meu: http://www.comicspace.com/zewellington :P

Abraço!

Rodrigo Scama disse...

Ótima entrevista... Tomara que não haja nenhum empecilho nas negociações e lançamentos. Só faltou um tema, acredito eu: Já que algumas revistas serão seriadas, havrá possibilidade de assinatura?

Franchico disse...

Não esperava menos do Forastieri, um cara cujo trabalho acompanho desde seus tempos como editor da revista Bizz, no início dos anos 1990: pé no chão, arrojado e esperto. Grande Forasta! Se tudo o que está na entrevista se concretizar, a Pixel será a grande editora de 2007, fácil.

Sidney Gusman disse...

Rodrigo, a princípio não haverá assinaturas.

Abraço

Victor disse...

Olha, se puderem passem para o pessoal da Pixel as seguintes observações:
1º) Pessoalmente, gostei muito da iniciativa deles e desejo toda sorte do mundo; certamente eu serei um dos clientes de suas publicações e gostei da entrevista. Mas uma coisa me deixou muuuuuuuuuito preocupado. Várias vezes eles mencionaram a possibilidade de lançar histórias de títulos como Authority e Planetary tanto na "Mix" como em edições separadas, que serão minisséries e depois sairão encadernados. Pois bem, o que me preocupa, como colecionador, é ter histórias 'esquartejadas'. Dá para imaginar a cena: um dia decido reler todas as histórias do Planetary lançadas pela Pixel - para seguir a cronologia, tenho que pegar a revista Mix para ler umas histórias, depois interromper, pegar um encadernado, ler tudo, e voltar para a revista Mix para ler uma ou outra história isolada. Isso, para colecionador, é um tipo de tortura: quando começamos a comprar os títulos da Devir, tínhamos o sonho de ver TODAS as histórias de determinados personagens num punhado de encadernados IDÊNTICOS(mesmo formato, tipo de papel, etc.) como uma série de livros de um mesmo escritor. A idéia de ter que juntar revistas Mix e encadernados ou minisséries para conseguir ler tudo de um personagem, é muito, mas muito desagradável.
2º)Dizem que o burro morreu de sede quando colocaram na frente dele vários baldes de água, pois eles não sabia qual começava a beber primeiro. Por favor, não sejam como esse burro (nada pessoal, só foi uma metáfora)! Vejo que a Pixel tem muito material para publicar, muitas possibilidades e formatos, etc. Nisso, se ficarem 'hipnotizados' com todas as possibilidades, podem se perder, e não agradar nem gregos e troianos. É como um super-herói tão poderoso que pode salvar a vida de muitas pessoas, mas não faz nada de útil pois fica perdidão no meio de todas as possibilidades. Sejam mais austeros no início, consolidem seu mercado, comecem comendo a sopa pelas bordas, para não queimar a língua.
3º) Por favor, façam muita pesquisa, mas muita mesmo, antes de relançar alguma coisa do Sandman que a Conrad lançou! Fã tem limites, e eu, pelo menos, não compraria de novo "Prelúdios e Noturnos" só porque tem um punhado de páginas extras e é recolorido. A Conrad fez um trabalho tão bom que talvez seja imbatível. Cuidado para não ter encalhes!
Torço por vocês!