02 janeiro 2007

Sede da Mythos, em São Paulo, é furtada

Logotipo da MythosComo o Universo HQ está em férias, esta “edição extraordinária” sai no blog. Pena que é para dar uma notícia bem chata: no feriado de natal, a sede da Mythos Editora foi furtada. Levaram vários computadores, monitores e outros bens. A ocorrência foi registrada no 14º Distrito Policial de São Paulo, em Pinheiros.

Segundo a polícia apurou, os assaltantes desligaram o sistema de alarme da casa, que fica na Zona Oeste da cidade, passaram algumas horas na editora e teriam levado os equipamentos em dois carros. Não havia nenhum funcionário presente. “Uma vizinha até conversou com eles; disseram que eram seguranças”, relata o diretor Helcio de Carvalho.

Helcio de CarvalhoAlém de publicar vários títulos da Bonelli, Conan, o Cimério, Conan, o Bárbaro e edições especiais como Hellboy, Goon – O Casca-Grossa e alguns materiais da Marvel e da DC, a Mythos é a responsável pela produção de todas as revistas em quadrinhos da Panini Comics, exceto Turma da Mônica.

A Mythos vinha trabalhando para sanar o problema dos atrasos dos títulos Panini (muitas edições de dezembro ainda não chegaram às bancas). Helcio de Carvalho, espera regularizar logo a situação, mesmo com o furto. “Já estamos atuando nisso. Acho que essa violência não terá efeito nos nossos prazos, pois praticamente tudo tinha back-up. O material em produção estava fora da editora”, explica.

Que a Mythos se recupere o mais rápido possível.

12 comentários:

Marcilio Souza disse...

Depois dessa onda de violência no Rio, em SP, agora vemos até onde a bandidagem chega. Quem já passou por essa situação sabe que é muito ruim... Fica aqui a minha solidariedade com o pessoal da Mythos, sabendo que vão ressurgir das cinzas ainda mais fortes. Faloiu!

korak disse...

é uma pena esse acontecimento.
Mais sorte a galera da mythos.

Uma pena foi o universohq nao fazer uma notinha sobre o falecimento de Gino D' Antonio.
Um grande mestre dos quadrinhos e de grande importancia pros quadrinhos de faroeste, e escreveu uma das melhores series de western Storia Del West.

Tomara que quando voltar o universohq, faça uma nota.

Sidney Gusman disse...

Korak, estará na atualização de segunda. Grande perda!

Abraço

Guilherme disse...

Esse tipo de coisa me deixa cada vez mais indignado! É um absurdo a que ponto chegou a violência em cidades como Vitória, Rio de Janeiro e São Paulo!
Quando é que os políticos vão dar um jeito nisso? Já é sabido há tempos como solucionar isso, investindo em educação!

André Azeredo disse...

Olha, comprei algumas edições encadernadas da Mythos e senti-me assaltado. Há tempos uma editora brasileira não sacaneava os leitores tanto quanto a Mythos: o encadernado Camelot 3000 é um exemplo - péssima impressão, péssimo acabamento e preço absurdo. Eu ia elogiar a iniciativa deles com a Bonelli, mas depois que descobri (informações confidenciais) que eles editam os balões para caberem na edição brasileira, e considerando ainda a péssima qualidade gráfica da publicação, nem vou falar mais. Enfim, o assalto talvez seja um exemplo da lei do carma em ação.

Guilherme Veneziani disse...

Oque exatamente a Mythos faz para ajudar com os atrasos da Panini? Pois, com todo respeito à triste notícia do assalto, eu até agora não vi este problema solucionado...
Abraços!

korak disse...

A galera as vezes exagera, se acha um encadernado caro tudo bem, agora dizer que a mythos ta pagando, so porque vc achou um encadernado caro, é muita falta do que fazer.

Sidão, valeu, desculpa a "cobrança", é que realmente senti muito a perda desse grande mestre dos quadrinhos que foi D'Antonio.

Parece que o faroeste nunca mais será o mesmo na nona arte!

Abração

korak

Rodrigo Scama disse...

Eu também acho as coisas da Mythos caras e de má qualidade, mas daí a dizer que eles mereciam ser assaltados é um pouco demais. A lei do carma deveria se valer fazendo com que eles perdessem os direitos e uma editora melhor pegasse e fizesse fortuna.

Túlio Vilela disse...

Esse negócio de ficar dizendo "bem feito" é um absurdo! O pessoal está misturando as coisas.
Mas pelo que foi relatado, a Mythos foi vítima de FURTO, não de ASSALTO.
Teria sido assalto se funcionários da editora estivessem presentes no local no momento em que os ladrões chegaram.
Se um ladrão entra numa casa num momento em que os moradores estão presentes é assalto, se os moradores estão ausentes é furto.

Sidney Gusman disse...

Tem razão, Túlio!

Alex disse...

Nooosa, jurisconsulto Túlio! Bem-vinda a sua informação e sua insígne presença! Realmente, agora ficou tudo muito diferente! Incrível! Obrigado por saciar a ignorância de nós, reles não-bacharéis em direito, que desconhecemos os meandros da dogmática jurídica e o pensamento do douto Pontes de Miranda e Cia. Realmente mudar o nome do fato altera tudo. Graaande intervenção. E mais, uma intervenção que não foi guiada por um mínimo de vaidade juvenil e tola. ;-D

Túlio Vilela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.