05 dezembro 2006

Ao bom e velho Walt Disney

Este mês de dezembro é muito significativo para os fãs de Walt Disney. Primeiro porque hoje, dia 5, o grande mestre da animação completaria 105 anos de vida. E no próximo dia 15, serão completados 40 anos da morte do artista.

Como fã dos personagens creditados a ele, a imensa maioria dos quais criada por outros artistas, eu não poderia deixar de registrar essas datas.

Disney nunca foi um quadrinhista, e também nunca fez com suas criações o que grandes nomes como Barks, Gottfredson, Scarpa e tantos outros fizeram. Mas o óbvio ululante é que tudo partiu dele, e sem o bom e velho cineasta eu não teria crescido lendo quadrinhos tão sensacionais com personagens tão marcantes, e muito menos estaria hoje acompanhando a fantástica série O Melhor da Disney - As Obras Completas de Carl Barks ou aguardando com ansiedade a chegada de 2007 pra reler A Saga do Tio Patinhas no formato original.

Tenho uma edição de 1966 da revista O Pato Donald que traz, em uma página inteira, a notícia da morte de Walt Disney. Apesar do fato triste, a homenagem foi muito bonita e traduziu o sentimento de gratidão que todas as crianças sentiam naquele momento. Inclusive eu, que só fui ler aquilo quando já era adulto.

14 comentários:

João Paulo Hammes disse...

Concordo, estu gastando meu dinheiro com algo que vale a pena como a coleção das obras de Carl Barks, melhor do que muito gibi de super-herói por aí. Will Eisner dizia que Carl Barks era o Hans Christian Andersen dos quadrinhos.

Rodrigo Scama disse...

This comment has been removed because it linked to malicious content. Learn more.

Marknilson Barbosa disse...

Olá Marcus Ramone,
Tudo bem!
Rapaz, divulga ai no blog, as imagens e textos sobre o acontecimento, que saiu da Revista O Pato Donald de 1966, para os fãs.
Um abraços e sucesso.

Marcus Ramone disse...

Taí, boa idéia, Mark! Vou escanear a página. Aguarde! :o)

Emerson disse...

Ramone,esse post não tem nada a ver com a Disney, é só pra tirar uma dúvida sobre a matéria http://www.universohq.com.br/quadrinhos/2006/n06122006_01.cfm

A Cuca está sem calcinha na capa da revista do Sítio????? E ainda com a saia levantada na frente? Ou é a Juliana Paes transformada pela Emília?

Marcus Ramone disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marcus Ramone disse...

He,he, pois é. Tá vendo que não sou só eu que encontro sacanagem nos gibis? :o)
Na verdade, na capa a bruxa tá com o primeiro visual que adotou nessa nova incursão do Sítio na TV. Mas, há cerca de dois anos, a Cuca voltou a ser como aquela que todos nós lembramos do Sítio do Picapau Amrelo do final dos anos 70 e meados dos 80, e que você pode ver na capa do gibi estrelado só por ela.

Franchico disse...

Sobre as homenagens a Walt Disney, o que dizer daquele caso do pai que batizou o filho de "Waldisney", por que gostava muito do criador do Mickey?

Rodrigo Scama disse...

franchico, todo, ou quase todo Valdisnei vêm daí...

Felipe Koller disse...

Creio que Walt nasceu em 1901, certo? Ou seja, teria feito 105 anos ontem, e não 100. Lembro-me bem das inúmeras comemorações de 100 anos em 2001.

Marcus Ramone disse...

É, Felipe, você está certo, foi um erro matemático da minha parte, hê, hê... Mas já consertei no post.

Anônimo disse...

Ué, aí tem uma coisa que não entendi. Se o Walt tá com 105 anos, o que significa aquele álbum que lançaram de "100 anos de cinema de animação disney"? De onde vem esses anos?

Marcus Ramone disse...

Boa pergunta, anônimo. A animação (a forma de arte) completou 100 anos (http://www.universohq.com/quadrinhos/2006/n06042006_14.cfm) em 2006, mas Disney produziu sua primeira animação muitos anos depois, é lógico.

Rodrigo disse...

Olha não quero ser chato, Disney é um grande nome da história da animação e do entretenimento, mas é bom lembrar que não era e nunca foi um santo. Não estou me referindo a acusações como as do livro "Para Ler o Pato Donald", mas a atitudes como delatar comunistas nos anos 50 e outras polêmicas.
Ele, sem dúvida merece as homenagens, mas sem esquecer seus, digamos, deslizes éticos.